Sociedade | 28-07-2023 09:19

JMJ: Hospital de Santarém reforçou formação sobre triagem em catástrofe

Santarém vai acolher cerca de 8 mil peregrinos durante a Jornada Mundial da Juventude e o hospital público da cidade prepara-se para todos os cenários. Vai ser instalado um posto médico no CNEMA mas a capacidade de resposta no HDS não será afectada.

O Hospital Distrital de Santarém (HDS) reforçou a formação sobre triagem em catástrofe e accionamento do Plano de Emergência Externo (PEE), em antecipação da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que decorre na próxima semana em Lisboa e em Fátima. Nas últimas semanas têm sido realizadas várias reuniões e formações, tendo em conta que o hospital se encontra numa região que vai receber milhares de peregrinos e é atravessada pela principal auto-estrada do país, a A1.

“Apesar de o plano já existir e de já ter sido feita formação aos profissionais, [a realização da JMJ] tornou-se uma preocupação, pelo número de jovens peregrinos que vamos receber no distrito e na área de abrangência do hospital, pelo que achámos pertinente fazer formação aos profissionais na área da triagem em catástrofe e do PEE”, afirmou Sandra Marques, enfermeira chefe do Serviço de Urgência e responsável pelo PEE do HDS,

Apontando os dados mais recentes para a chegada de mais de 8 mil peregrinos à área de abrangência do HDS, 4.188 dos quais serão alojados no Centro Nacional de Exposições e Mercados Agrícolas (CNEMA), em Santarém, Sandra Marques salientou que o facto de estar a ser instalado um posto médico naquele espaço, onde serão resolvidas as situações agudas e não urgentes, deixa todos mais “tranquilos”.

Para a enfermeira chefe das Urgências do HDS, também os utentes do hospital podem estar tranquilos, pois a capacidade de resposta será mantida. Segundo Sandra Marques, foi possível “reforçar um pouco” as equipas do serviço de urgência com enfermeiros e assistentes operacionais, o que já não aconteceu com os médicos, mas, frisou, caso ocorra uma catástrofe, é activado um plano que permite que sejam convocados profissionais que não estão no serviço.

“Se acontecesse um evento com muitas vítimas, teríamos de recorrer a este plano e chamaríamos pessoas que não estão de prevenção, mas que viriam dar essa resposta e, normalmente, os profissionais, em situações que envolvem multivítimas, são sempre muito disponíveis e muito preocupados e dão a sua colaboração”, salientou.

O PEE define o circuito das vítimas, a acessibilidade, a segurança, a vigilância, os vários gabinetes que têm de existir em momentos de excepção, como o gabinete de comunicação social ou o de acolhimento a familiares, tendo, ainda, um catálogo de recursos humanos (com todos os profissionais e os seus contactos) e outro de recursos materiais, adiantou.

“Foi feito um catálogo de todos os recursos e equipamentos que existem a nível do hospital para, se tivermos de abrir e expandir áreas, possamos ir buscar o material e saibamos onde ele está”, disse. Estão, também, definidas as plantas de todos os circuitos e está estruturada e organizada toda a resposta hospitalar.

Além das reuniões com todos os responsáveis das várias áreas do hospital, para relembrar alguns aspectos do plano ou actualizações que foi necessário fazer, até devido às obras, a equipa reuniu-se, também, com as várias entidades envolvidas na preparação da JMJ para “uma resposta conjunta mais eficaz e mais eficiente, se, eventualmente, houvesse uma situação de crise e uma situação multivítimas”, afirmou.

O contacto com a PSP, a GNR, o Agrupamento de Centros de Saúde da Lezíria e a equipa coordenadora da JMJ no CNEMA acabou por ser “enriquecedor” para a abordagem e a actuação do HDS, acrescentou.

Sandra Marques afirmou que a forma como a equipa da JMJ organizou a recepção de jovens no CNEMA, disponibilizando, nomeadamente, uma estrutura com a presença de médicos e enfermeiros 24 horas/dia, tranquilizou quanto à afluência ao HDS, sendo a principal preocupação a eventualidade de algum acidente rodoviário, dado o significativo tráfego esperado, sobretudo de autocarros, na Autoestrada do Norte.

A JMJ 2023, que contará com a presença do papa Francisco, vai realizar-se de 1 a 6 de Agosto em Lisboa, sendo Santarém uma das três dioceses, além de Lisboa e de Setúbal, de acolhimento de peregrinos. O Papa chega a Lisboa no dia 2 de Agosto, tendo prevista uma visita de duas horas ao Santuário de Fátima no dia 5 para rezar pela paz e pelo fim da guerra na Ucrânia.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1668
    12-06-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1668
    12-06-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo