Sociedade | 31-07-2023 10:00

Histórico ex-presidente da Câmara de Constância vai dar nome a uma travessa

Histórico ex-presidente da Câmara de Constância vai dar nome a uma travessa
António Mendes, que foi presidente da Câmara de Constância durante 24 anos, não quis comentar a polémica

CDU contesta a decisão da maioria socialista na Câmara de Constância, por diminuir a importância que António Mendes teve na história e desenvolvimento do concelho. Presidente da Comissão de Toponímia rebate argumentos e critica comunistas.

O executivo da Câmara de Constância, de maioria socialista, decidiu atribuir o nome do ex-presidente do município António Mendes (CDU) a uma travessa numa urbanização da freguesia de Santa Margarida, de onde o ex-autarca é natural. Uma deliberação que é criticada pela oposição CDU, por considerar que a mesma menoriza a importância que António Mendes teve no desenvolvimento do concelho.
A proposta da Comissão de Toponímia para a atribuição do nome de Travessa Comendador António Manuel dos Santos Mendes a um arruamento da urbanização sita na Rua Padre António Esteves, em Santa Margarida da Coutada, foi aprovada na última reunião da Câmara de Constância, com os votos a favor da maioria PS e a abstenção da oposição CDU.
Em declaração de voto, a CDU, pela voz do vereador Rui Ferreira, vincou que António Mendes, que deixou a liderança do município em 2009 após 24 anos em funções, foi condecorado com a Ordem de Mérito em 2015 pelo então Presidente da República, sendo o único cidadão do concelho detentor dessa honraria. “A atribuição do nome de António Mendes a uma travessa, inviabilizando futuramente a atribuição do seu nome a uma das ruas da freguesia devido à confusão criada nos endereços, não tem correspondência com a sua obra e com as várias tomadas de posição, por unanimidade, em assembleia municipal”, alega a CDU, reforçando que a obra do antigo autarca “justifica ainda a realização de uma justa homenagem concelhia, promovida pelo município”.

Homenageado foi informado e concordou
O MIRANTE pediu esclarecimentos ao presidente da Câmara de Constância sobre o assunto, tendo Sérgio Oliveira (PS) incumbido o presidente da Comissão de Toponímia, António Luís Mendes, também presidente da assembleia municipal, de nos responder. Recordando que o ex-autarca foi “o grande responsável pela criação de várias urbanizações no concelho”, nomeadamente a urbanização onde se situa a travessa, foi contactado pessoalmente pelo presidente da Comissão de Toponímia sobre a intenção de propor o seu nome àquele arruamento. “O senhor comendador António Mendes aceitou de imediato a sugestão, mostrando-se bastante grato pela ideia”, diz o seu homónimo.
António Luís Mendes acrescenta que no seio da Comissão de Toponímia, onde está representada a CDU, não foram apresentadas outras sugestões, tendo a proposta sido aprovada por unanimidade. Foi dado conhecimento ao comendador António Mendes do resultado da decisão, tendo o mesmo visitado a referida urbanização, “tecendo vários elogios sobre a mesma”. Por essa ordem de razões, o presidente da Comissão de Toponímia “não consegue entender” o desagrado de alguns autarcas da CDU, classificando de “lamentáveis” as razões que evocam, contrariando a sua ideologia. “Afinal, para alguns elementos da CDU, uns são mais iguais do que outros e o nome a dar a uma travessa, só seria adequado a um qualquer personagem do tipo ‘assistente operacional’”, atira o socialista António Luís Mendes.
Referindo que “não se trata de nenhuma homenagem ao senhor comendador António Mendes, que lhe é devida” mas sim de “um singelo reconhecimento da sua visão urbanística enquanto autarca”, António Luís Mendes vinca que a homenagem pública a António Mendes, proposta e votada por unanimidade em assembleia municipal, será realizada em breve.
O socialista conclui lamentando a caracterização depreciativa de “travessa” atribuída àquele arruamento em forma de “T”, cuja designação, de acordo com os regulamentos, era a única que poderia ser aplicada. “Trata-se de uma urbanização ‘tipo condomínio fechado’ com lotes de terreno a preços bastante elevados e com uma vista simplesmente fabulosa”, elucida António Luís Mendes.

À Margem / Opinião

Uma escolha infeliz

António Manuel dos Santos Mendes foi presidente da Câmara de Constância entre 1986 e 2009. Foi o principal rosto da mudança que o concelho viveu nesse período ao nível da requalificação urbana, do aproveitamento das margens dos rios, da promoção turística, das infraestruturas básicas e equipamentos públicos, entre outras áreas. Obra feita e que ainda hoje é visível, sem beliscar a sustentabilidade financeira do município, ao contrário do que aconteceu com outros autarcas do seu tempo. Atribuir o nome do autarca mais carismático e empreendedor do concelho desde que há poder local democrático a uma travessa, por muito magnífica que seja a urbanização, parece uma escolha infeliz, ainda que bem intencionada. E, como dizia alguém: em política, o que parece é!
João Calhaz

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1668
    12-06-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1668
    12-06-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo