Sociedade | 08-08-2023 10:00

Acidente mudou a vida de empresário de Marinhais que encontrou no artesanato uma fuga para a depressão

Acidente mudou a vida de empresário de Marinhais que encontrou no artesanato uma fuga para a depressão
Wenceslau Soares passa os dias a fazer artesanato depois de ter sofrido um acidente

A vida como empreiteiro parecia certa, até que um dia Wenceslau Soares sofreu um acidente que lhe danificou a coluna.

Foi operado de urgência e viu-se obrigado a fechar a empresa de construcção civil. Para fugir à depressão, transformou a garagem de casa numa oficina de artesanato. A vida voltou-lhe a pregar partidas com o filho, que mudou totalmente depois de uma ida ao hospital com dores de dentes.

Wenceslau Soares, de Marinhais, sofreu um acidente de viação e descobriu no artesanato o seu novo modo de estar na vida. Aos 59 anos tem como missão diária ajudar o filho de 31, diagnosticado com autismo aos dois anos. Nos tempos livres entretém-se na garagem, que transformou em oficina, composta pelos materiais que sobraram da sua empresa de construcção civil que foi obrigado a fechar depois do acidente, em 2007.
Natural de Angola, Wenceslau Soares foi deixado pela mãe em Portugal aos 17 anos para fugir à guerra; nos primeiros tempos chegou a dormir na rua, conta a O MIRANTE. Anos mais tarde, já a residir no concelho de Salvaterra de Magos, foi vítima de um choque em cadeia entre vários carros, grave acidente que lhe deixou mazelas para sempre, afectando-lhe, sobretudo, a coluna vertebral. Depois de seis meses à espera de uma resposta do seguro para ser operado, Wenceslau Soares teve de continuar a trabalhar na medida do possível, sem saber que a vértebra estava prestes a cortar a medula, correndo o risco de ficar paraplégico. “Consigo trabalhar normalmente durante algum tempo, mas a determinada altura tenho de parar por causa das dores”, desabafa, explicando que tem uma prótese na cervical.
Sem poder trabalhar na construcção civil, não baixou os braços e encontrou algo que o motivasse e o mantivesse longe de uma depressão. Começou a ver tutoriais na Internet e a criar as suas próprias peças em madeira. Fundou a “Art&Wood” e actualmente é procurado por associações desportivas do concelho de Salvaterra de Magos para fazer medalhas e troféus, mas também pelas costureiras, devido às famosas estantes para arrumar os carrinhos de linha, às caixas de costura ou aos botões personalizados. No seu percurso de artesão já criou relógios, candeeiros, brincos, garrafeiras, procurando ir ao encontro das necessidades da comunidade e dando azo à imaginação. Passa horas a cortar e montar peças e nesses momentos não pensa nos problemas que atravessaram o seu caminho: “quando estou aqui não penso em mais nada. Não gosto de viver de esmolas e sempre tive a capacidade de dar a volta por cima”, vinca.

Cuidar do filho é a sua grande Obra
Aos 15 anos, o filho de Wenceslau Soares queixou-se de uma dor de dentes e os pais levaram-no ao hospital. Wenceslau Soares diz que não foram feitos exames suficientes e que passou ao lado dos médicos um dente do siso que estava a nascer fora de rumo. “O dente ficou seis anos a rasgar o maxilar ao meu filho que se auto-agredia com dores de dentes”, recorda o pai. Os dentes sobrepuseram-se e o ensalivar levou a um diagnóstico de refluxo gastroesofágico, acabando por ser operado. O filho, agora com 31 anos, come uma vez por dia e leva entre uma e duas horas a comer devido à sobreposição dos dentes. “O meu filho podia estar comigo na oficina, mas hoje é uma pessoa totalmente diferente”, lamenta.
O investimento para arranjar os dentes do filho Fábio é superior a três mil euros e os pais apelam para que alguma clínica os possa ajudar a encontrar uma solução para acabar com o sofrimento do filho e de toda a família.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1668
    12-06-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1668
    12-06-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo