Sociedade | 22-08-2023 07:00

Largadas de toiros fizeram 7 dos 79 feridos das festas do Colete Encarnado

Largadas de toiros fizeram 7 dos 79 feridos das festas do Colete Encarnado
Esperas de toiros são um dos atractivos da festa mais simbólica de Vila Franca de Xira

Excesso de álcool, brigas e pequenos acidentes na rua estão na origem da maioria das cerca de 80 intervenções médicas durante os três dias das festas do Colete Encarnado, em Vila Franca de Xira.

Dos 79 feridos registados este ano nas festas do Colete Encarnado em Vila Franca de Xira apenas sete tiveram de ser assistidos como consequência de colhidas de toiros nas largadas. O MIRANTE elencou os diferentes tipos de feridos que foram registados durante a festa e os toiros foram quem menos trabalho deu aos bombeiros. Dos sete feridos colhidos nas ruas apenas dois foram considerados graves.
A maior parte dos ferimentos deveu-se a quedas (18), traumas devido a pequenas contusões (13) e 25 situações de doença súbita (indisposições ou choques de calor). O excesso de álcool obrigou a socorrer oito pessoas. Houve também três casos de agressão e, como o nosso jornal já tinha noticiado, quatro queimados leves, devido à explosão de um artefacto pirotécnico ilegal. Não fosse também a confusão gerada junto à Casa dos Forcados da cidade na madrugada de sábado, que obrigou a uma carga policial sobre a multidão, e o número de feridos nas festas este ano seria bem menor (ver caixa). Por fim, a estatística dos acidentes revela ainda a existência de uma pessoa que teve de ser assistida por ter sido atropelada por um cavalo. Do total, 57 pessoas foram consideradas vítimas ligeiras e duas dezenas tiveram de ser transportadas para o hospital.
O presidente do município, Fernando Paulo Ferreira, diz que o balanço final da festa ainda está a ser preparado mas que as primeiras indicações são positivas. “O Colete é e sempre será a festa maior da nossa cidade e da nossa região e continuaremos a torná-lo melhor”, vincou.
As organizações anti-tourada aproveitaram o facto do município apenas ter dado nota dos números de feridos na globalidade para reforçar a posição que já haviam preparado para a consulta pública promovida pela Direcção-Geral do Património Cultural no âmbito da inclusão das festas do Colete Encarnado na lista do Património Cultural Imaterial. Das 23 participações públicas recolhidas no período de consulta pública, recorde-se, apenas cinco foram a favor da inclusão da festa na lista do património imaterial.

Ministério Público pede provas

O forcado de Vila Franca de Xira suspeito de ter agredido à bofetada um agente da Polícia na madrugada de 1 de Julho durante desacatos ocorridos junto à Casa dos Forcados, no centro da cidade, já foi ouvido por um procurador do Ministério Público e negou a autoria das agressões, apurou O MIRANTE. O suspeito confirmou estar no local onde tudo aconteceu mas negou ter sido ele a agredir o agente.
O processo entrou agora numa fase de averiguação de prova, com o procurador a pedir à polícia provas adicionais que fundamentem uma acusação contra o forcado. O processo só deverá ser retomado depois das férias judiciais. Recorde-se que na madrugada de 1 de Julho estalou um confronto violento entre a PSP e populares junto à Casa dos Forcados de VFX, tendo resultado num agente ferido e uma carga policial sobre os populares que estavam no local quando os agentes tentaram deter o suspeito das agressões, como O MIRANTE noticiou e cujo vídeo pode ser visto no site online do jornal. O polícia agredido teve de receber tratamento hospitalar.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1668
    12-06-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1668
    12-06-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo