Sociedade | 13-09-2023 13:55

Azambuja pede empréstimo de 1,6 milhões para alargar cemitério de Aveiras de Cima

Azambuja pede empréstimo de 1,6 milhões para alargar cemitério de Aveiras de Cima
Existem apenas duas sepulturas virgens no cemitério de Aveiras de Cima

Município aprovou a contratação de empréstimo, a pagar a 20 anos, para financiar a ampliação do cemitério de Aveiras de Cima que está a rebentar pelas costuras. Presidente da câmara diz que a obra deverá ser adjudicada até ao final do ano e arrancar no início do próximo.

A Câmara de Azambuja aprovou por unanimidade, na reunião do executivo de 12 de Setembro, um empréstimo de 1,6 milhões de euros, a ser pago em 20 anos, para financiar a obra de alargamento do cemitério de Aveiras de Cima, que é reclamada há vários anos pela Junta de Freguesia de Aveiras de Cima. O cemitério tem actualmente apenas duas sepulturas virgens e a falta de espaço já obrigou, segundo o presidente da junta, António Torrão (CDU), a que cinco mortos fossem enterrados no cemitério de Azambuja.

De acordo com o presidente do município, Silvino Lúcio (PS), caso a proposta para a contratação do empréstimo bancário à Caixa de Crédito Agrícola Mútuo seja aprovada na próxima assembleia municipal, de 28 de Setembro, a autarquia passa a estar em condições de poder lançar o concurso para adjudicação da empreitada. O que se espera que aconteça, acrescentou, até ao final deste ano para que os trabalhos, que vão ter a duração de 365 dias, arranquem no início do próximo ano. Entre os trabalhos previstos está a construção de muros de vedação em betão, a edificação de sanitários e de uma capela, o nivelamento do piso, aplicação de calçada e lancis.


*Notícia desenvolvida numa próxima edição semanal de O MIRANTE

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1673
    17-07-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1673
    17-07-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo