Sociedade | 19-09-2023 14:14

Câmara de Alcanena recusa responsabilidades na morte de peixes no Alviela

Câmara de Alcanena recusa responsabilidades na morte de peixes no Alviela
foto ilustrativa - foto arquivo

Autarquia diz que não foi feita descarga da ETAR e que a situação se deve à quebra de oxigénio na água.

Na manhã de Domingo, dia 17 de Setembro, a população de Alcanena deparou-se com vários peixes mortos, ao longo do rio Alviela. A situação alarmou os residentes que acreditaram tratar-se de uma descarga excessiva da ETAR, mas tanto o presidente da autarquia, Rui Anastácio, como o vereador Nuno Silva, garantem ter-se tratado de uma quebra nos níveis de oxigénio na água, recusando qualquer descarga da ETAR.

Rui Anastácio explicou tratar-se de um evento que não é caso único e nem ter sido das situações mais graves, em número de peixes mortos. O autarca disse que a situação se encontra normalizada e que não houve qualquer descarga por parte da ETAR, tendo-se tratado de uma quebra nos níveis de oxigénio, nas águas do rio. Rui Anastácio reconhece que a ETAR ainda não está no seu perfeito funcionamento e que também essa questão, está a ser resolvida, mas garante não ter existido qualquer anormalidade que provocasse a morte dos peixes.

O vereador Nuno Silva reforçou o facto de não ter sido feita qualquer descarga por parte da ETAR e que os técnicos já se tinham dirigido ao local para recolher amostras da água. O autarca diz que se confirmou que a origem da morte dos peixes foi mesmo a quebra dos níveis de oxigénio.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1631
    27-09-2023
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1631
    27-09-2023
    Capa Médio Tejo