Sociedade | 29-11-2023 10:00

Salvaterra de Magos reforça orçamento para apoios sociais e saúde

Executivo da Câmara de Salvaterra de Magos aprovou orçamento de 21 milhões de euros para 2024.

A Câmara de Salvaterra de Magos aprovou o orçamento para 2024, no valor de 21 milhões de euros, com os votos favoráveis da maioria PS e contra do Chega e do Bloco de Esquerda. Em comunicado, a autarquia liderada por Hélder Esménio (PS) indica que o orçamento prevê um aumento de 50% nos apoios sociais e na saúde, e inclui medidas como o arrendamento de habitações para a fixação de médicos, o reforço dos apoios às IPSS e a redução em 50% do valor dos passes em transportes públicos. Rstão também previstos 1,3 milhões de euros para a construção de 12 habitações municipais e de uma Estrutura Residencial para Pessoas Idosas.

Outra das apostas é a área do ambiente e dos resíduos, que vai receber 1,2 milhões de euros para a aquisição de novas viaturas, ecopontos e contentores, bem como para a melhoria da eficiência energética nos edifícios públicos, através da substituição da iluminação actual por tecnologia LED. O orçamento prevê também um aumento de 14% no apoio à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Salvaterra de Magos.

Na área da educação, o município pretende reabilitar a Escola Básica 2,3 de Marinhais e candidatar a requalificação da escola EB1 de Muge ao Portugal 2030. O apoio municipal para as bolsas de estudo destinadas aos alunos do ensino superior será reforçado em 35%. A autarquia anunciou ainda que pretende aumentar os apoios aos serviços municipais de veterinária, com a ajuda da Associação Vira Latas, e construir um novo Centro de Recolha Oficial de animais, com um custo estimado de 700 mil euros.

Na cultura, desporto e lazer, está prevista a conclusão do museu Cais de Vela e a inauguração do Núcleo Museológico dos Concheiros. Citado em comunicado, Hélder Esménio deixou em aberto a possibilidade de uma candidatura ao Portugal 2030 para a construção do Pavilhão Gimnodesportivo do Centro Escolar de Foros de Salvaterra e Várzea Fresca. O autarca sublinhou também que a rede viária é uma das prioridades do município, que já investiu, desde 2013, mais de 8 milhões de euros em pavimentações.

O orçamento aprovado pelo PS foi criticado pela vereadora do Chega, Helena Lino, que, num texto publicado nas redes sociais, referiu que o documento “mantém o concelho estagnado”. Segundo a vereadora, uma das razões pelas quais o Chega votou contra o orçamento está relacionada com a recusa do executivo em implementar o Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) familiar.

Já o vereador do Bloco de Esquerda, Luís Gomes, numa declaração enviada à Lusa, criticou o orçamento alegando falta de estratégia para o desenvolvimento do concelho e acusando-o de ser orientado para as próximas eleições autárquicas. A Câmara Municipal de Salvaterra de Magos tem cinco eleitos do PS, uma do Chega e um do BE.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1652
    21-02-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1652
    21-02-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo