Sociedade | 02-12-2023 10:00

Inauguração do novo Centro de Saúde da Chamusca num impasse

Inauguração do novo Centro de Saúde da Chamusca num impasse
Centro de Saúde da Chamusca está pronto mas continua fechado

Presidente da Câmara da Chamusca diz que só aceita transferência de competências na área da Saúde com a abertura do novo espaço e com acesso a cuidados assegurados. Obra está pronta mas o impasse persiste.

A inauguração do novo Centro de Saúde da Chamusca, cujo projecto foi tornado público em 2018, continua sem data no calendário definida. Tem existido alguns problemas burocráticos que impedem a abertura do novo centro, sendo que o presidente do município afirma “estarem todos à espera uns dos outros”. Na última sessão camarária, Paulo Queimado diss que tem reunido com o Ministério da Saúde com representantes da Autoridade Regional de Saúde, mas que ainda não há data para a inauguração. “Só aceitaremos a transferência de competências na área da Saúde com o novo centro a funcionar e o acesso a cuidados de saúde assegurados”, disse.
O presidente da autarquia confirmou que a obra está pronta, faltando apenas algumas correcções e intervenções no exterior do edifício, situado na Avenida Gago Coutinho, junto ao Bairro 1º de Maio, na zona alta da vila.
Recorde-se que o primeiro grande problema que tem condicionado a abertura da nova unidade de saúde foi o facto, segundo explicou Paulo Queimado em várias sessões camarárias, do empreiteiro (Ecoedifica) responsável pela construção não ter recebido da Administração Regional de Saúde (ARS) o valor total das intervenções, cerca de 700 mil euros. Entretanto, esclareceu o autarca na última reunião, a dívida já foi saldada.
Em assembleia municipal Paulo Queimado admitiu estar “a sofrer uma grande pressão do ministério para assinar a transferência de competências na área da saúde”, mas garante não “assinar nada” enquanto não estiver tudo resolvido. “É assim independentemente das consequências que existirem para o município. A nossa situação neste momento é degradante demais para assumir esta transferência”, vincou na altura.

Mais médicos no concelho
Na última reunião de câmara ficou a saber-se também que chegaram mais médicos para trabalhar no concelho, que tinha apenas três médicos ao serviço, sendo que um deles não era a tempo inteiro. Cláudia Moreira, vice-presidente da autarquia, informou que nos próximos meses vão estar ao serviço mais três médicos que vão estar afectos, sobretudo, às extensões nas freguesias, nomeadamente em Ulme, Vale de Cavalos e Chouto. A autarca referiu ainda que vai existir um reforço de enfermeiros para realizar o rastreio do colo do útero.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1652
    21-02-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1652
    21-02-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo