Sociedade | 03-12-2023 15:00

“Há um exagero de ‘fast-food’ televisivo que nada acrescenta à formação intelectual das pessoas”

“Há um exagero de ‘fast-food’ televisivo que nada acrescenta à formação intelectual das pessoas”
Nuno Novo e Ana Afonso. Renata Eleutério. José Ferreira

Os programas de entretenimento com pouco conteúdo de interesse e a cobertura exaustiva realizada pelos canais de televisão, sobretudo de acontecimentos negativos, são preocupações a ter em conta, segundo alguns cidadãos com quem O MIRANTE conversou para assinalar o Dia Mundial da Televisão, que se comemora 21 de Novembro.

Ana Afonso, 35 anos, considera que a programação televisiva devia ser mais bem idealizada e que os conteúdos actuais são demasiado “ocos”, referindo-se, sobretudo, aos “reality shows”. Os programas de entretenimento transmitidos ao fim-de-semana são muito repetitivos e não acrescentam nada de novo, acrescenta. Ao nível dos noticiários televisivos, a fotógrafa profissional considera que a cobertura de notícias se foca sobretudo em aspectos negativos da realidade, algo que refere ter um impacto negativo na opinião dos telespectadores. “Se a televisão quiser ser próxima do público vai ter que se reinventar”, refere.
O MIRANTE saiu à rua no centro histórico de Santarém para assinalar o Dia Mundial da Televisão, que se comemora a 21 de Novembro. Renata Eleutério, 35 anos, segurança, consome informação através da televisão, apesar de fazer uma selecção do que escolhe assistir. “Acho que há uma cobertura demasiado massiva, dramática e negativa do que se passa no mundo”, afirma, referindo-se ao facto da televisão se aproveitar, muitas vezes, da miséria dos outros para produzir conteúdo.
Em relação aos programas de entretenimento disponíveis, Renata Eleutério afirma que não existe capacidade criativa, lamentando o facto de existirem demasiados programas que retratam a mesma realidade. A segurança considera que há um exagero de “fast-food” televisivo e que os “reality shows” não acrescentam nada à formação intelectual de uma pessoa.
Na perspectiva de José Ferreira, 77 anos, aposentado, o excesso de informação com base na especulação que surge na maioria dos programas de debate televisivos é algo que precisa de sofrer mudanças a curto prazo, assim como a repetição de notícias ao longo de vários dias, que leva à saturação do telespectador. José Ferreira considera que a televisão tem uma utilidade importante na transmissão de informação, contudo, a cobertura poderia ser mais moderada, de forma a serem evitados exageros, vinca.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1653
    28-02-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1653
    28-02-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo