Sociedade | 11-12-2023 12:00

Seis anos de prisão por assaltar adolescentes em Santarém

Um jovem de 23 anos assaltou oito rapazes com 13 e 14 anos, estudantes nas escolas de Santarém, quando estes circulavam no centro da cidade, em plena luz do dia, e atacou ainda um homem a quem roubou 1.500 euros depois de o atacar com dois pontapés nas costas. O Tribunal de Santarém teve em conta que o arguido cometeu os crimes durante a suspensão de penas de outros dois crimes de roubo, destacando os juízes que este tipo de situações exigem resposta firme.

Um jovem de 23 anos residente em Santarém e que nunca teve qualquer ocupação profissional andava a assaltar adolescentes de 13 e 14 anos no centro da cidade e agora foi condenado a seis anos de prisão. Os crimes ocorreram entre Agosto de 2022 e Janeiro de 2023 e no total o arguido atacou oito rapazes, estudantes em escolas de Santarém, quando estes se deslocavam na via pública, mais um adulto. Um dos locais onde o arguido assaltou os menores é no Jardim da Liberdade, a poucos metros da PSP.
O arguido, que já tinha cadastro por outros dois crimes de roubo, e que antes desta condenação já estava em prisão preventiva, abordava as vítimas na rua para que lhe dessem o dinheiro que traziam. Na primeira situação, ao início da tarde de 7 de Agosto de 2022, aproximou-se de três adolescentes e ordenou-lhes que lhe dessem moedas, dizendo: “mais vale vos pedir dinheiro do que andar a bater em vocês”. Conseguiu cerca de 70 euros e abandonou o Jardim da Liberdade ordenando aos adolescentes que seguissem caminho em sentido oposto à esquadra da PSP que se situa ao fundo do jardim.
Os outros seis adolescentes foram abordados perto do centro comercial, nas arcadas da Rua Pedro de Santarém, perto da estátua de Salgueiro Maia e no Largo Infante Santo, perto da câmara municipal. Refere o acórdão do Tribunal de Santarém que a um dos jovens retirou 140 euros que este trazia na carteira. A maior quantia que conseguiu roubar foi 1.500 euros a um homem que circulava na Rua Pedro de Santarém. O arguido pediu-lhe moedas e a vítima deu-lhe algumas e seguiu caminho, mas o assaltante foi no seu encalço e desferiu-lhe dois pontapés nas costas fazendo-o cair ao chão e tirou-lhe a carteira que continha o dinheiro.
Na decisão, o tribunal teve em conta que este tipo de criminalidade gera “grande sentimento de insegurança na população” e que provocam “elevado e crescente grau de alarme e insegurança social dos cidadãos exigindo resposta firme”. Os juízes também consideraram em desfavor do arguido o facto de este já ter duas condenações em pena suspensa e de ter cometido os assaltos durante o período em que vigorava a suspensão. O tribunal também considerou que o arguido tem um suporte familiar pouco sólido e que a família revelou inaptidão para o proteger e tem uma débil capacidade de acompanhar o processo de ressocialização deste.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1652
    21-02-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1652
    21-02-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo