Sociedade | 12-12-2023 15:00

Bombeiros de Benavente continuam à espera de obras no quartel

Bombeiros de Benavente continuam à espera de obras no quartel
Exposição no quartel dos bombeiros de Benavente mostra centenas de peças da história da protecção civil na região

Jogo do empurra dura desde Janeiro, quando uma intempérie destruiu partes do telhado e da clarabóia do quartel dos Bombeiros Voluntários de Benavente. Presidente da câmara ouviu durante a inauguração de uma nova exposição no quartel, apelo dos dirigentes para que ajude a resolver o problema.

Quase um ano depois de uma intempérie ter destruído parte do telhado e da clarabóia do quartel dos Bombeiros Voluntários de Benavente, que tem causado infiltrações e inundações numa das salas de desporto do quartel, a corporação continua à espera que a Câmara de Benavente a ajude a fazer as obras e a resolver o problema. Presidente do município diz que há dinheiro para a intervenção e que a bola está agora do lado da associação.
Na noite de 1 de Dezembro, durante a inauguração de uma nova exposição que está patente até dia 10 no quartel (ver caixa), o dirigente da colectividade, Nuno Martins, aproveitou a presença do presidente do município, Carlos Coutinho, para lhe lançar novo apelo para que o município ajude a corporação a avançar com as obras. “Estamos desde Janeiro com problemas no telhado do pavilhão e clarabóias. Com as fortes chuvadas que tivemos ontem (30 de Novembro) tudo se encheu de água outra vez e estamos há demasiado tempo à espera da ajuda da câmara”, lamentou o dirigente a O MIRANTE. Nuno Martins lamenta o excesso de burocracia que, na prática, leva a que a solução para o problema se arraste.
O autarca de Benavente, Carlos Coutinho, diz que há muito que o município reservou 145 mil euros para a obra mas que a bola está do lado da associação. “Vejam do ponto de vista dos procedimentos de contratação como vão fazer, porque estão obrigados a ter os mesmos procedimentos que a câmara. Têm na vossa equipa alguém que disse que percebia de procedimentos de contratação, têm uma funcionária da câmara à disposição que iria ver como é que se fazia isso e depois podiam lançar as empreitadas”, explicou.
Carlos Coutinho não poupou nas palavras, dizendo não poder admitir que uma entidade como a câmara, “que sempre esteve ao lado dos bombeiros e foi sempre parceiro activo”, veja queixas escritas nas redes sociais dizendo que a culpa dos trabalhos não avançarem é da câmara. Queixas que, ressalvou, não foram escritas por dirigentes da corporação. “É da maior injustiça porque há muito que temos o dinheiro, agora não peçam é para que seja o presidente a vir fazer as obras”, criticou. A associação humanitária, recorde-se, pede ajuda desde Janeiro para fazer face aos estragos causados pela chuva intensa num edifício que há muito que precisa de obras.

Exposição sobre o passado e presente

Está patente no quartel dos Bombeiros Voluntários de Benavente até 10 de Dezembro, com entradas livres, uma exposição intitulada “Protecção Civil: Passado e Presente”, que reúne um espólio de centenas de objectos de várias valências da protecção civil da região. Grande parte das peças pertencem aos Bombeiros de Benavente mas outras foram emprestadas por entidades como a Guarda Nacional Republicana, Autoridade Marítima Nacional e outras corporações da região, como os Bombeiros de Alenquer que emprestaram um antigo e raro desfibrilhador.
“A exposição nasceu de um grupo de bombeiros que em muito boa hora resolveram vir ter com a direcção e propuseram apresentar esta exposição. Dissemos que sim desde a primeira hora por acreditarmos que se trata de abrir a nossa associação à comunidade, que tem estado muito fechada nos últimos anos”, explica Nuno Martins. Na mostra podem também ser apreciadas miniaturas de coleccionismo de viaturas de bombeiros e ambulâncias, equipamentos antigos e actuais, viaturas e demonstrações de equipamentos.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1653
    28-02-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1653
    28-02-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo