Sociedade | 14-01-2024 07:00

Mia é a nova cadela de busca e salvamento dos Bombeiros do Entroncamento

Mia é a nova cadela de busca e salvamento dos Bombeiros do Entroncamento
Ricardo Fontinho é bombeiro e treinador da cadela Mia, um dos mais recentes elementos do corpo de Bombeiros Voluntários do Entroncamento

Mia nasceu em Maio do ano passado e em Junho já pertencia ao corpo dos Bombeiros Voluntários do Entroncamento. A cadela de busca e salvamento passa os dias no quartel e na casa do bombeiro e treinador, Ricardo Fontinho.

Bombeiro desde 2009, Ricardo Fontinho pertence à Equipa de Intervenção Permanente dos Bombeiros Voluntários do Entoncamento, que actua em caso de acidentes ou incêndios. Por proposta do comandante da corporação, iniciou-se na cinotecnia, uma área relacionada com o treino de cães para trabalhos específicos civis ou militares. Mia é a sua fiel parceira e ninguém a conhece melhor do que Ricardo Fontinho. “Está a ser uma aprendizagem e um processo muito divertido e enriquecedor para os dois”, confessa Ricardo Fontinho a O MIRANTE, acrescentando que para se ser bombeiro é preciso gostar e que o apoio dos familiares tem sido fundamental. “Como muitos dos colegas que trabalham comigo, lamento que o nosso trabalho só seja reconhecido durante a época de incêndios que contribuiu, infelizmente, para a desvalorização desta actividade tão nobre e essencial”, salienta.
Ricardo Fontinho tem 40 anos, é natural do Entroncamento e ser bombeiro foi uma “oportunidade” que surgiu por influência de amigos que faziam parte da corporação do Entroncamento na altura em que frequentava o bar da associação. Tornou-se profissional há cerca de ano e meio. Pertence à equipa Equipa de Intervenção Permanente e, quando o comando propôs a formação de uma equipa de cinotécnia, não hesitou. A equipa de Ricardo Fontinho e da cadela Mia começou no Verão de 2023 com treinos de obediência e busca. O operacional confessa que tem aprendido muito com a sua amiga de quatro patas, referindo que ao mesmo tempo tem recebido formação externa para aprender a trabalhar com cães. A Mia nasceu em Maio e faz parte do corpo de bombeiros desde Junho. O nome, que também significa estrela-do-mar, foi escolhido pelos operacionais.
Ricardo e Mia têm uma ligação que vai muito além da profissional, uma vez que o bombeiro leva a cadela todos os dias para casa. “É importante para criar ligação. Aqui tento evitar excesso de carinho ou de brincadeiras, para que ela também consiga estar concentrada. Às vezes tenho de chamar a atenção aos meus colegas para que ela não se sinta como uma mascote, porque todos querem brincar ou dar-lhe biscoitos e temos de perceber que aqui ela é uma de nós. Em casa sou mais liberal e temos uma boa relação, inclusive, ela brinca muito com os meus filhos e divertem-se imenso, por vezes, até simulam exercícios para ela treinar”, conta com um sorriso no rosto. No dia-a-dia no quartel simulam exercícios de busca e treinos de obediência, por norma, três vezes por dia, com 15 minutos cada sessão. Ricardo Fontinho e Mia participaram no desfile de fanfarras dos bombeiros do Entroncamento e costumam ir a escolas onde fazem demonstrações. Até agora ainda não entraram oficialmente em acção, mas Ricardo Fontinho assegura que, no dia em que for necessário, vão estar ambos preparados para ajudar e prestar o socorro necessário.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1653
    28-02-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1653
    28-02-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo