Sociedade | 21-01-2024 18:00

Vigília das forças de segurança por melhores condições de trabalho

Vigília das forças de segurança por melhores condições de trabalho
Forças de segurança realizaram uma vigília junto ao edifício dos paços do concelho em Santarém a 10 de Janeiro

Vigília juntou forças de segurança em Santarém e Torres Novas em protesto contra a falta de condições de trabalho e desconsiderações por parte do Governo.

Várias dezenas de elementos das forças de segurança realizaram no final do dia 10 de Janeiro uma vigília de protesto junto ao edifício da Câmara Municipal de Santarém. O comissário Nuno Ferreira explicou que a acção de protesto se tratou de uma demonstração de desagrado em relação à desconsideração por parte do Governo da qual PSP e GNR têm sido alvo. O comissário diz que no último estatuto, aprovado em 2015, ficaram por regulamentar várias matérias, nomeadamente ao nível dos suplementos remuneratórios tendo a matéria sido relegada para o estatuto de 2009. “O único suplemento que foi actualizado recentemente foi o que passou a ter uma majoração pelo valor do risco, que foi actualizado em 69 euros, portanto, passou de 34 para 100 euros”, indicou a O MIRANTE o comissário. “Verificamos que neste momento um polícia pouco mais recebe que o ordenado mínimo”, lamenta. “É impensável estarmos a exigir a um jovem que se sacrifique para vir para a Polícia para despender mais de 50% do seu rendimento numa casa em Lisboa, por exemplo”, sublinha.
Ismael Duarte, dirigente distrital da Associação Sócio-Profissional da PSP, referiu que além da negociação das tabelas salariais é necessário existir também um melhoramento das infraestruturas, material de trabalho e substituição de viaturas de transporte. “Os polícias estão insatisfeitos, sentem-se maltratados e precisam urgentemente de serem respeitados”, frisou ao nosso jornal. Os profissionais da PSP pretendem uma alteração das tabelas salariais de forma também a aumentar a atractividade da profissão, salienta Ismael Duarte. No que toca à deslocação dos profissionais para fora da sua área de residência Ismael Duarte também diz ser outro problema devido ao tempo em que os profissionais ficam afastados das suas famílias. Carlos Lopes, vice-presidente da SINAPOL (Sindicato Nacional da Polícia), também foi um dos presentes na vigília em Santarém. No final do dia 11 de Janeiro, realizou-se uma vigília das forças de segurança em frente à Escola Prática de Polícia, em Torres Novas.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1653
    28-02-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1653
    28-02-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo