Sociedade | 23-01-2024 15:00

Agrupamento Nuno de Santa Maria é referência no ensino e na inclusão

Agrupamento Nuno de Santa Maria é referência no ensino e na inclusão
Directora do Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria, Celeste Sousa, e sub-directora, Natália Nogueira, com professores e alunos do agrupamento

Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria, em Tomar, foi submetido a uma avaliação externa cujos resultados das actividades desenvolvidas foram considerados bastante positivos. Directora do agrupamento anunciou aprovação de candidatura para a aquisição de material informático.

O Agrupamento de Escolas Nuno de Santa Maria, em Tomar, realizou uma sessão de apresentação dos resultados de uma avaliação externa de todas as escolas realizada pela Inspecção-Geral da Educação e Ciência. A directora do agrupamento, Celeste Sousa, aproveitou o momento para anunciar a aprovação de uma candidatura do Centro Tecnológico no âmbito da Informática, no valor de 560 mil euros, através do Programa de Recuperação e Resiliência (PRR), destinados à aquisição de material informático para a escola-sede que será uma “mais valia” para o estabelecimento de ensino.
Celeste Sousa destacou a importância da avaliação externa da escola como uma “oportunidade de crescimento” por permitir reflectir sobre o trabalho desenvolvido. A directora do agrupamento começou por apresentar dados e actividades da instituição dando conta que o agrupamento é constituído por 1.911 alunos este ano lectivo, desde o pré-escolar até ao 12º ano de escolaridade sendo que mais de uma centena são de outras nacionalidades, nomeadamente brasileiros, angolanos, ucranianos, israelitas, sul africanos, ingleses, indianos, entre outros. A instituição tem 209 docentes, 88 não docentes e disponibiliza também cursos profissionais de Multimédia e Turismo, além de possuir três unidades para alunos com espectro de autismo.
A directora do agrupamento mencionou a obtenção de um selo de conformidade do Quadro de Referência Europeu de Garantia da Qualidade para o Ensino e Formação Profissionais (EQAVET), sublinhando a realização sistemática de auto-avaliação como orientação para melhorar o trabalho. Através do Programa Internacional de Avaliação dos Alunos (PISA) para as escolas perceberam que os alunos achavam que os professores nem sempre param para lhes tirar dúvidas. No sentido de resolver essa fragilidade foi criado um plano de acção de melhoria que tinha como principal medida a comunicação e metodologias activas, como resolução de problemas, aulas fora da caixa, promover o trabalho interdisciplinar, pensar em estratégias que melhorem a concentração dos alunos, entre outras. De forma a sinalizar precocemente alunos com dificuldades optaram também por reuniões após o primeiro reporte de avaliação para alunos com mais de três avaliações insuficientes, envolvendo o director de turma, tutor, encarregado de educação, direcção e alunos para definirem estratégias e compromissos de melhoria. No ano lectivo transacto foram sinalizados 38 alunos, sendo que seis reprovaram.
Os resultados globais da escola foram considerados bastante positivos, com taxas de sucesso acima da média nacional. No ano lectivo transacto registaram uma taxa de abandono e desistência de 0,46% e relativamente ao acesso ao ensino superior 137 alunos (92%) foram colocados na primeira fase sendo que desses 78 alunos (57%) conseguiram entrar na primeira opção, em 149 alunos candidatos.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1653
    28-02-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1653
    28-02-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo