Sociedade | 03-02-2024 12:00

Renúncia de António Louro provoca mexidas nos pelouros na Câmara de Mação

Renúncia de António Louro provoca mexidas nos pelouros na Câmara de Mação
Vasco Estrela e António Louro trabalharam como presidente e vice-presidente da Câmara de Mação durante dez anos

Executivo da Câmara de Mação, de maioria PSD, passa a contar só com três autarcas a tempo inteiro e com pelouros atribuídos. Com a saída do vice-presidente houve redistribuição dos pelouros e entra na vereação Tânia Pires.

O presidente da Câmara de Mação, Vasco Estrela (PSD), redistribuiu as funções dos vereadores e assumiu, entre outros, os pelouros da Protecção Civil e Floresta após a renúncia do seu vice-presidente, António Louro, substituído no cargo na quarta-feira, 24 de Janeiro. Em declarações à agência Lusa, o presidente disse compreender a saída de António Louro para se dedicar a tempo inteiro à reforma da floresta e indicou a nomeação da vereadora Margarida Lopes para vice-presidente. Além disso, Tânia Pires, primeira suplente do PSD nas autárquicas de 2021, entrou para o cargo de vereadora, mas sem pelouros atribuídos. Vasco Estrela refere que dos três vereadores do PSD só Margarida Lopes e Vasco Marques ficam a tempo inteiro e com pelouros, ao contrário do que antes sucedia.
O vice-presidente da Câmara de Mação, António Louro, com 20 anos de vida autárquica, renunciou ao mandato para poder continuar a presidir à Associação Florestal de Mação – Aflomação, e à empresa AZR Gestão Territorial S.A., constituída no âmbito da implementação das Áreas Integradas de Gestão da Paisagem (AIGP) no concelho, situação que “não era compatível” com o desempenho do cargo político, indicou o próprio.
“Nas actuais circunstâncias, considero que é mais fácil substituir o vereador António Louro na câmara municipal do que encontrar forma de substituir o presidente da Aflomação e da AZR, sem colocar em risco a oportunidade histórica para o nosso concelho que representam os projectos das AIGP e os tão significativos investimentos e apoios envolvidos”, disse o ex-vice-presidente, que afastou a possibilidade de se candidatar à presidência da câmara nas próximas eleições autárquicas.
Numa mensagem publicada na sua página pessoal o presidente da Câmara de Mação, que não se poderá recandidatar em 2025 por força da lei de limitação de mandatos, agradeceu a António Louro o trabalho realizado “em prol” de Mação. O executivo municipal de Mação, de maioria social-democrata, é composto por quatro eleitos do PSD, incluindo o presidente, e um vereador do PS, sem pelouros atribuídos.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1653
    28-02-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1653
    28-02-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo