Sociedade | 04-02-2024 07:00

Autarcas de Benavente defendem deslocação das pistas do futuro aeroporto

Autarcas de Benavente defendem deslocação das pistas do futuro aeroporto
Autarcas de Benavente querem aeroporto no concelho mas avisam que a comunidade não pode sair prejudicada com os impactos

Aeroporto é bem vindo no concelho de Benavente, dizem os autarcas, mas é preciso garantir o bem estar da população de Santo Estêvão.

A Câmara Municipal de Benavente aprovou no dia 25 de Janeiro, em reunião extraordinária, a proposta de localização da nova estrutura aeroportuária no Campo de Tiro da Força Aérea. Os autarcas deixaram no entanto a ressalva de que é necessário deslocalizar as pistas para que fiquem mais afastadas das zonas de Santo Estêvão, Mata do Duque e Zambujeiro, que estão próximas do polígono do aeroporto. “A maior preocupação é a área residencial de Santo Estêvão e por isso defendemos a deslocação das pistas sul/sudoeste”, afirmou o presidente do município, Carlos Coutinho (CDU).
Terminou dia 26 de Janeiro a consulta pública do relatório ambiental do novo aeroporto e a autarquia pronunciou-se favoravelmente, mostrando-se disponível para acolher a infraestrutura. “Estamos conscientes do crescimento económico e demográfico que o aeroporto vai trazer para o concelho mas isso já foi pensado na revisão do Plano Director Municipal”, disse Carlos Coutinho.
A proposta foi aprovada com os votos favoráveis do executivo CDU e PS, pela vereadora do PSD Sónia Ferreira, e contou com abstenção da vereadora independente Milena Castro que disse não ter tido tempo suficiente para analisar o documento. Os autarcas subscreveram a localização Campo de Tiro mas apontam para um sistema dual, numa primeira fase, em que se deverá manter em funcionamento o aeroporto Humberto Delgado e o aeroporto no Campo de Tiro. Posteriormente deverá ser apenas uma solução única com o aeroporto a funcionar apenas no Campo de Tiro.
O vereador do PS, Joseph Azevedo, reiterou ser necessário definir uma estratégia para o turismo e acompanhar as acessibilidades e intermodalidade, necessárias para acompanhar a evolução demográfica. O parecer da câmara sublinha que as vias rodoviárias são insuficientes para escoar o trânsito, no caso do Campo de Tiro ser a localização escolhida, e por isso o município vai reivindicar um conjunto de intervenções no território, nomeadamente na Estrada Nacional 118 na ligação Porto-Alto/Alcochete. Carlos Coutinho remeteu para uma próxima reunião de câmara a apresentação de um estudo de trânsito e a necessidade de ser construída uma variante a Samora Correia e Benavente.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1652
    21-02-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1652
    21-02-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo