Sociedade | 20-02-2024 18:00

Aumentam pedidos de ajuda de jovens a programa de apoio a desfavorecidos em Abrantes

Programa de Apoio a Estratos Sociais Desfavorecidos da Câmara de Abrantes apoiou mais de três centenas de pessoas. Registaram-se mais novos pedidos em 2023 que no ano anterior e 48% são de beneficiários do Rendimento Social de Inserção.

O número de novos pedidos de ajuda ao Programa de Apoio a Estratos Sociais Desfavorecidos da Câmara de Abrantes aumentou no ano passado comparativamente a 2022, com mais jovens a solicitar esta ajuda, anunciou a vereadora com o pelouro da Acção Social na última sessão camarária a propósito da apresentação do relatório anual desta medida implementada pela primeira vez em 2014.
Raquel Olhicas especificou que do número total de pedidos de apoio 36% correspondem a renovações e 54% a novos pedidos, sendo que em 2022 foram registados apenas 39 novos pedidos. “As pessoas estão a conhecer mais o programa”, sublinhou a autarca, acrescentando que muitos dos pedidos são feitos por pessoas jovens e famílias monoparentais que “estão pontualmente desempregadas, com créditos à habitação a aumentar (…). A partir dos 26 anos já vêm recorrer à câmara, coisa que há uns anos não acontecia”.
No total, em 2023, foram registados 133 pedidos através deste programa e abrangidas 305 pessoas, com os processos de emergência a continuarem a estar em maioria, na ordem dos 61%. Os restantes dizem respeito a processos continuados como por exemplo para medicação crónica e facturas da água e electricidade. “Continuamos com situações de alguma exclusão social e pobreza que ainda acontece no concelho mas mais minimizada porque temos equipas no terreno constantemente e muito atentas a estas situações”, salientou Raquel Olhicas.
Quanto à origem dos pedidos, 48% foram efectuados por beneficiários do Rendimento Social de Inserção (RSI), um número ainda expressivo mas que, de acordo com a vereadora da Acção Social, tem vindo a diminuir. “Em 2022 eram 63% ou seja temos 15% de diferença, o que também significa que estamos a minimizar e suspender alguns RSI e as pessoas estão a começar a saber gerir mais as finanças”, afirmou.
No que toca à tipologia dos requerentes, 81% têm entre 26 e 59 anos, 73% são mulheres e 83% são cidadãos naturais de Abrantes, havendo, no entanto, um total de cinco nacionalidades diferentes entre a globalidade de beneficiários o que, na opinião de Raquel Olhicas, tem tendência a aumentar. As freguesias urbanas continuam a ser o local de origem de mais de 75% dos apoios solicitados e muitos dos requerentes pedem mais do que um tipo de apoio em simultâneo.
Desde a implementação do Programa de Apoio a Estratos Sociais Desfavorecidos o município investiu um total de 740 mil euros, dos quais 65.382 euros dizem respeito ao ano transacto. A juntar a esta verba, ainda dentro da Acção Social, 20 mil euros foram gastos em cabazes alimentares e 38 mil euros noutros apoios prestados no âmbito do Serviço de Acção Social.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1660
    17-04-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1660
    17-04-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo