Sociedade | 21-02-2024 13:40

Assinatura que faltava permite arranque das obras na Urgência de Abrantes

Assinatura que faltava permite arranque das obras na Urgência de Abrantes

A requalificação e expansão da Urgência Médico-Cirúrgica no Hospital de Abrantes estão prometidas há anos e têm estado presas por entraves burocráticos. A assinatura da portaria que faltava já terá sido rubricada. O investimento estimado já vai em 3,6 milhões de euros.

As obras de requalificação na Urgência do Hospital de Abrantes vão avançar, tendo sido finalmente assinada “a portaria de extensão”, foi revelado por representantes da Comissão de Utentes da Saúde do Médio Tejo (CUMST). “Recebemos agora a informação de que terá sido assinada a portaria de extensão, aguardando única e simplesmente que seja publicada em Diário da República para o processo poder seguir, havendo a garantia de, da parte do concorrente que vai executar as obras, da intenção de, no final de Março, princípio de Abril, avançar com o início das obras”, disse à Lusa Manuel José Soares, porta-voz da CUSMT, no final de uma reunião com o conselho de administração da Unidade Local de Saúde (ULS) Médio Tejo.

Segundo o dirigente da CUSMT, as obras na Urgência do Hospital de Abrantes, “prometidas e necessárias há anos e anos", têm projecto, financiamento, concurso feito e empresa escolhida para fazer a obra, mas apenas faltava a assinatura de um membro do Governo numa portaria de extensão para que se concretizasse a adjudicação e o consequente início das obras”, o que agora se terá concretizado.

A requalificação e expansão da Urgência Médico-Cirúrgica no Hospital de Abrantes iria custar 2,9 milhões de euros (c/IVA), indicou à Lusa o presidente do Centro Hospitalar do Médio Tejo, em Setembro de 2022, aquando do início das obras de construção das novas instalações das Consultas Externas e do serviço de Gastroenterologia do Hospital de Abrantes, valor que terá subido, entretanto, para 3,6 milhões de euros, com os valores actualizados ao dia de hoje.

A ULS Médio Tejo passou a agregar no dia 1 de Janeiro de 2024 o Centro Hospitalar do Médio Tejo e o Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Médio Tejo, assegurando a prestação dos cuidados de saúde nos concelhos de Abrantes, Alcanena, Constância, Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Mação, Sardoal, Tomar, Torres Novas, Vila Nova da Barquinha (todos do distrito de Santarém) e Vila de Rei (distrito de Castelo Branco).

Com população residente na área geográfica de abrangência de cerca 170 mil pessoas (169.274 pessoas), a ULS te 2.780 profissionais e dispõe de três unidades hospitalares (localizadas em Abrantes, Tomar e Torres Novas) e dos serviços de cuidados de saúde primários até aqui assegurados pelo ACES Médio Tejo e pelo Centro de Saúde de Vila de Rei.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1660
    17-04-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1660
    17-04-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo