Sociedade | 23-02-2024 21:00

Doença do coração é mais mortal que o cancro

Doença do coração é mais mortal que o cancro
Jorge Guardado é médico cardiologista no Hospital de Leiria e na UCARDIO - Centro Clínico Cardiovascular, em Riachos, Torres Novas

A cada 15 minutos alguém morre por doença cardiovascular e muitas vezes sem ter sofrido sintomas. Entrevista com Jorge Guardado a propósito do Dia do Doente Coronário.

Mas, apesar dos números elevados de mortalidade, não é difícil detectar uma doença coronária precocemente e eliminar ou controlar os factores de risco, nota o médico cardiologista Jorge Guardado. Se o SNS tem capacidade para responder a todas as solicitações atempadamente isso já é outra história. Esta é uma entrevista com o cardiologista de Riachos a propósito do Dia do Doente Coronário que se assinala a 14 de Fevereiro.

A doença coronária é uma assassina silenciosa?
Cerca de metade das pessoas que tem um acidente coronário, vulgarmente conhecido por ataque cardíaco, não teve previamente sinais ou sintomas que o anunciassem. Destes, cerca de 25% podem ter um evento fatal antes de chegarem aos cuidados hospitalares especializados.
Devíamos temer as doenças cardiovasculares como tememos um diagnóstico de cancro?
Sim, claramente. São a primeira causa de morte em Portugal apesar da redução registada nas últimas duas décadas. Actualmente, com o valor mais baixo dos últimos 70 anos, cerca de 25,9%, correspondente a 35 mil mortes, uma média de uma morte por doença cardiovascular a cada 15 minutos.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1660
    17-04-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1660
    17-04-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo