Sociedade | 28-02-2024 18:00

Mau estado das estradas em Azambuja leva condutores a reclamar na reunião de câmara

Problema do mau estado do piso das estradas em Casais dos Britos é antigo e deve-se, sobretudo, à circulação de veículos pesados que era para ser provisória. Condutores estão cansados de esperar por uma intervenção, apesar das constantes reclamações.

José Catarino e António Pires foram à última reunião pública do executivo da Câmara de Azambuja reclamar do mau estado das estradas em Casais dos Britos. O problema é há muito sentido e os condutores residentes no concelho lamentam que ainda não tenha sido resolvido após tantos anos de reclamações. “Pago os meus impostos para estas situações. Tenho crateras em frente a minha casa”, disse José Catarino, lamentando que os pedidos de arranjo da via, que faz reiteradamente há 22 anos ao município, não tenham dado em nada.
O morador na Rua da Murta, em Casais dos Britos, decidiu, desta vez, ir a uma sessão camarária expor publicamente o problema já que, criticou, de todas as vezes que reclamou por escrito a autarquia respondeu-lhe apenas uma vez, em 2021, a pouco tempo das eleições. “Como faço nos dias de chuva para entrar em casa? Vou ficar à espera do quê? De um barco que me possam oferecer? Gostava que a situação fosse resolvida com a maior brevidade possível”, rematou.
Também António Pires, que é presença assídua nas reuniões de câmara, pediu a palavra para dizer que a estrada de Casais dos Britos está “uma vergonha” com “abatimentos, buracos, poças e raízes [de árvores] a partir o alcatrão”, desde a zona de Vale Brejo até à estrada junto à Avipronto que liga à Nacional 3. O munícipe alertou ainda para o mau estado da estrada do campo na qual, além dos abatimentos no piso, diz ter falta de sinalização de perigo em algumas curvas. Quanto aos abatimentos, vincou, são “extremamente perigosos que se passarem lá por dentro está-se sujeito a ir parar dentro da vala”.

Presidente reconhece arrastar do problema
Respondendo aos munícipes, o presidente da Câmara de Azambuja, Silvino Lúcio (PS), reconheceu que no caso da Rua da Murteira já passaram, de facto, “anos a mais” para a sua requalificação. O autarca referiu ainda que essa não terá sido uma das ruas indicadas pela Junta de Freguesia de Azambuja como sendo prioritária para arranjo e que por isso não consta da lista de estradas que o município vai requalificar. “Em 2025 poderemos ou não avançar com a reparação da dita rua”, disse.
Relativamente à estrada em Casais dos Britos referida por António Pires, a 513, Silvino Lúcio garantiu que vai ser alvo de intervenção entre a rotunda do Vale Brejo e a subida para Vale do Paraíso entre 2024 e 2025. Sobre a estrada do campo o autarca deu indicações à vereadora com o pelouro para proceder à colocação de sinalização de perigo.
Em Janeiro de 2023, recorde-se, os socialistas que gerem a Câmara de Azambuja, assim como a CDU, chumbaram uma proposta do Chega para proibir a circulação de veículos pesados em Casais de Baixo e Casais dos Britos, na freguesia de Azambuja. Na proposta, apresentada pela vereadora Inês Louro, pedia-se ao município que intercedesse junto da Infraestruturas de Portugal no sentido de proibir a passagem de veículos pesados em algumas das estradas daquelas localidades, onde as populações são fustigadas com o ruído e mau estado constante do piso das vias. Na última reunião, a vereadora lembrou Silvino Lúcio do chumbo dessa proposta e de que a passagem de veículos pesados por aquelas localidades era para ser provisória quando se deu a proibição da circulação dessas viaturas em Aveiras de Cima e Aveiras de Baixo.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1660
    17-04-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1660
    17-04-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo