Sociedade | 28-02-2024 07:00

Moradores de Covão do Coelho dizem que obras que duraram anos estão mal concluídas

Moradores de Covão do Coelho dizem que obras que duraram anos estão mal concluídas
População de Covão do Coelho andou em 2020 pela aldeia a mostrar a O MIRANTE as armadilhas que tinham que ultrapassar diariamente

Moradores do Covão do Coelho, no concelho de Alcanena, queixam-se de que as obras de saneamento que duraram cerca de quatro anos a terminar estão mal feitas e são um risco para a população.

Falta de alcatroamento e desníveis em várias estradas são as principais queixas.

As obras de saneamento básico no Covão do Coelho, freguesia de Minde, concelho de Alcanena, foram um verdadeiro tormento para os habitantes e deixaram um rasto que está a indignar a população local. Depois de anos a viverem com a aldeia voltada de pernas o ar a população está revoltada por a aldeia ter ficado com problemas graves no asfalto, nomeadamente relacionados com a falta de alcatroamento e desníveis nas estradas que colocam em risco o bem-estar dos residentes.
Alguns moradores com quem O MIRANTE conversou, numa visita à aldeia durante o mês de Fevereiro de 2023, não esconderam o descontentamento e revolta por terem estado a “viver num cenário de guerra” entre 2019 e 2023 e o trabalho ter ficado mal-executado. Recorde-se que as obras de execução da rede de saneamento de águas residuais do Covão do Coelho estiveram paradas por falta de entendimento entre o empreiteiro e o subempreiteiro. A empreitada foi adjudicada por mais de dois milhões de euros. Os trabalhos começaram no início de 2019 e o prazo de execução era de 365 dias.
“Depois de tantos anos a viver sem qualidade e condições é lamentável terem deixado a aldeia neste estado. “Há desníveis no asfalto à entrada de muitas habitações e garagens que são um perigo para a entrada e saída de viaturas, mas também para as pessoas. Há vários exemplos de pessoas mais idosas que já caíram por causa destes desníveis”, conta um dos moradores ao nosso jornal, que pediu para não ser identificado na reportagem. Outro dos moradores revela que, embora as obras tenham sido feitas para melhorar o saneamento básico, há muitos casos em que nada está a funcionar. “Grande parte dos problemas que existiam continuam”, lamenta.

O MIRANTE esteve no local
Em 2020 O MIRANTE reuniu no Largo da Igreja com cerca de uma dezena de moradores que falaram em nome dos cerca de 800 habitantes da aldeia. Percorremos a aldeia para ver como as ruas estavam esburacadas, o piso quase todo por alcatroar, a canalização ao cimo da terra e vários algares na via pública que colocavam em perigo os transeuntes.
As empreitadas, que foram inicialmente entregues à empresa TOELTA, tiveram sucessivos incumprimentos de prazos para conclusão dos trabalhos por isso o município multou a empresa e revogou o contrato. A Câmara de Alcanena abriu um novo concurso público depois de ter multado o empreiteiro e, após levantamento por parte dos técnicos municipais, chegou-se à conclusão que ainda faltava fazer cerca de 600 mil euros de obra. A Câmara de Alcanena decidiu rescindir o contrato com a empresa responsável pela empreitada em Vale Alto e Covão do Coelho no anterior mandato, presidido pela socialista Fernanda Asseiceira. As sanções aplicadas pelo anterior executivo à empresa a quem tinha sido adjudicada a empreitada, a TOELTA – Gestão de Investimentos e Concessões, atingiram o valor máximo estabelecido de 413.712 euros, o que levou o actual executivo a deliberar a rescisão do contrato com a empresa.

Moradores do Covão do Coelho dizem que desníveis à entrada de habitações já provocaram quedas

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1660
    17-04-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1660
    17-04-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo