Sociedade | 06-03-2024 10:00

Empresas poluidoras continuam a castigar população de Alcanena

Empresas poluidoras continuam a castigar população de Alcanena
Rui Anastácio ameaçou encerrar empresas se a poluição continuar em Alcanena

Maus cheiros provocados pela indústria em Alcanena voltaram a fazer-se sentir no fim-de-semana de 17 e 18 de Fevereiro com muitas queixas da população. Executivo municipal diz que é consequência da actividade industrial e já notificou empresas.

A poluição e os maus cheiros provocados pela laboração de empresas em Alcanena não se fazia sentir desde o final de 2023 mas voltou a causar estragos no fim-de-semana de 17 e 18 de Fevereiro motivando muitas queixas da população. Na última reunião camarária, que se realizou a 19 de Fevereiro, o vereador José Luís Ramos denunciou a situação, que diz ter sentido na primeira pessoa. “Entre as 15 e as 20 horas de sábado sentia-se um mau cheiro intenso na zona do Monte. Uma vez que os maus cheiros ali, certamente, não foram provocados pela Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR), questiono se o restante executivo tem conhecimento da situação e do que a possa ter causado”, questionou.
O vereador Nuno Silva, responsável pelo pelouro do Ambiente, admitiu também ter sentido os maus odores, que atribuiu ao sulfureto. Nuno Silva diz que naquela zona apenas trabalha uma empresa com sulfureto e que a iria notificar ainda no dia. O vereador acredita que a causa seja uma anomalia no sistema de desodorização da empresa.

Problema sem fim à vista
Tal como já foi notícia em várias edições de O MIRANTE o tema da poluição e maus cheiros em Alcanena provocados por algumas empresas ligadas ao sector dos curtumes é recorrente em reuniões camarárias. Sobre as lamas da ETAR, Rui Anastácio, presidente do município, já afirmou que ainda não há um destino final para a colocação das lamas que, garante, têm vindo a ser esterilizadas. O autarca não considera o aterro uma solução uma vez que se encontra a cerca de meio quilómetro de algumas residências.
Sobre as empresas poluidoras, o presidente da câmara garantiu que poderá tomar medidas extremas caso as empresas continuem a não cumprir com as suas obrigações. Rui Anastácio afirmou que, em último caso, o município deverá decretar o encerramento das indústrias que não cumpram com os requisitos. Na reunião, que se realizou a 2 de Outubro de 2023, Rui Anastácio explicou que a empresa municipal Aquanena tem fiscalizado diariamente os processos de pré-tratamento das fábricas.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1660
    17-04-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1660
    17-04-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo