Sociedade | 09-03-2024 12:00

Colónias de gatos em Salvaterra de Magos são problema por resolver

Na Rua José Martins Madeira, em Marinhais, existe uma colónia de mais de uma dezena de gatos que está a preocupar os moradores por causa dos problemas de saúde pública que a situação acarreta. O município de Salvaterra de Magos diz a O MIRANTE que vai ser implementado um programa para controlar a situação.

Uma colónia com mais de uma dezena de gatos na Rua José Martins Madeira, em Marinhais, concelho de Salvaterra de Magos, está a gerar preocupação nos moradores pelos perigos para a saúde pública que a situação acarreta, para além do barulho durante a madrugada que estraga o descanso dos residentes. Depois de uma visita de O MIRANTE ao local, o município de Salvaterra de Magos solicitou o ponto de situação do controlo de colónias de gatos ao veterinário municipal, Pedro Santos. A implementação do programa CED (Captura-Esterilização-Devolução) vem regulamentada na Portaria n.º 146/2017, de 26 de Abril. O veterinário explica que para um eficaz cumprimento do programa é necessário planeamento, formação e monitorização e revela que o CED está em elaboração pelos serviços veterinários da autarquia e vai estar pronto nos próximos meses, estando a implementação prevista ainda para este ano. “Está em curso o recenseamento de todas as colónias de gatos do concelho, que se calcula que serão muitas, para logo de imediato, com a ajuda das associações de protecção animal e cuidadores de colónia cooperadores, as monitorizar e intervir. O próprio plano permitirá fazer uma triagem e priorização das colónias a intervir”, afirma Pedro Santos.
A 9 de Fevereiro de 2024 o gatil municipal abrigava 60 gatos. Em 2023 foram recolhidos 272 e adoptados 126. Realizaram-se 62 esterilizações. O MIRANTE consultou o último relatório anual de actividade dos Centros de Recolha Oficial (2022), disponibilizado online pelo ICNF - Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, e verificou que nesse ano, no concelho de Salvaterra de Magos, foram recolhidos 392 animais e adoptados 211. “Se fizermos uma relação entre número de capturas/adopções relativamente à população residente no concelho, estaremos possivelmente nos lugares de topo nacional”, afirma Pedro Santos. O investimento no canil/gatil em 2023 foi de cerca de 30 mil euros para alimentação e cerca de 70 mil para tratamentos/esterilizações. A Associação Vira Latas, que apoia cuidadores e adopções, recebe anualmente 15 mil.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1660
    17-04-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1660
    17-04-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo