Sociedade | 11-03-2024 07:00

Agricultores que utilizam Barragem do Carril vão continuar sem água

Agricultores que utilizam Barragem do Carril vão continuar sem água
Agricultores de São Pedro de Tomar querem saber se podem avançar com as culturas para este ano

Presidente da Câmara de Tomar diz que ainda não tem informações concretas sobre a gestão e os problemas que têm existido na Barragem do Carril. Agricultores temem problemas nas culturas por causa da falta de água para regadio. Direcção Regional de Agricultura e Pescas adiantou que fornecimento de água está impedido até reparação da conduta.

O presidente da Câmara Municipal de Tomar revelou, em sessão camarária, que ainda não tem respostas concretas para dar aos agricultores de São Pedro sobre os seus receios relativamente à disponibilidade de água da Barragem do Carril que está a pôr em causa as próximas culturas. Hugo Cristóvão afirmou que ainda não tem novas informações concretas sobre a Barragem do Carril, depois de questionado pela vereadora Lurdes Ferromau Fernandes (PSD) sobre a reunião com a Direcção Regional de Agricultura e Pescas de Lisboa e Vale do Tejo (DRAPLVT). “As diligências têm sido, essencialmente, infrutíferas”, afirmou o presidente, esclarecendo que o executivo está disponível para pertencer à gestão da barragem, apenas se forem transferidos meios adequados do Estado Central ou se forem “obrigados”. Caso contrário, o autarca refere que não querem assumir a responsabilidade.
Recorde-se que, numa reunião de câmara anterior, os agricultores demonstraram estar preocupados relativamente à disponibilidade de água para a próxima época de culturas, devido às constantes rupturas de condutas na barragem que estão a condicionar as suas decisões sobre se avançam para as próximas culturas. Isto porque, em 2023, uma ruptura de uma conduta impediu os agricultores de utilizarem a água da barragem para regar as culturas, prejudicando as colheitas e causando prejuízos de milhares de euros.
O assunto foi abordado na última Assembleia Municipal de Tomar, depois da Direcção Regional de Agricultura e Pescas de Lisboa e Vale do Tejo (DRAP LVT) ter avançado em comunicado que o abastecimento de água vai continuar impedido. Bruno Graça (CDU) destacou a importância da infraestrutura para a população que trabalha no sector primário, que se tem visto impedida de utilizar a água há vários meses, em consequência de rupturas nas condutas. Augusto Barros (PS) defende que quem utiliza a água deve pagar de forma a contribuir para as despesas dos arranjos das condutas que rebentem. Américo Pereira (InN) destaca que a solução passa pela gestão da infraestrutura pelos beneficiários, sugerindo que a maioria dos proprietários e regantes se organizem numa entidade associativa ou corporativa e concessionem a barragem.
Sabe-se que a barragem pode vir a ser explorada por empresas privadas, sendo que o município também tem intenção de fazer parte da sua gestão num modelo público-privado. O Aproveitamento Hidroagrícola do Carril tem uma área de 378 hectares e engloba cerca de 920 prédios rústicos e 613 proprietários​. A barragem abrange as freguesias de São Pedro de Tomar, União de Freguesias de Tomar, União deFreguesias de Serra e Junceira e União de Freguesias de Casais e Alviobeira.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1660
    17-04-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1660
    17-04-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo