Sociedade | 11-03-2024 12:00

Utentes do Médio Tejo juntam 16 mil assinaturas por melhores cuidados de saúde

Utentes do Médio Tejo juntam 16 mil assinaturas por melhores cuidados de saúde
Abaixo-assinado circulou durante um mês na região pela valorização dos cuidados de saúde de proximidade. FOTO - CUMST

Entre as prioridades inscritas no abaixo-assinado promovido pela Comissão de Utentes da Saúde do Médio Tejo estão o funcionamento das urgências 24 horas por dia, o reforço de profissionais de saúde e a reabertura das extensões de saúde encerradas ou sem cuidados médicos.

A Comissão de Utentes da Saúde do Médio Tejo (CUSMT) já recolheu 16.195 assinaturas, num abaixo-assinado que circulou durante um mês na região pela valorização dos cuidados de saúde de proximidade, anunciou o porta-voz da CUSMT, Manuel Soares. Em declarações à agência Lusa, Manuel Soares disse que estes números indicam que deverão ser alcançadas cerca de 16.500 assinaturas, já que ainda existem cadernos por recolher. Ou seja, acrescentou, são números que “representam qualquer coisa como 10% do total dos utentes da Unidade Local de Saúde” do Médio Tejo.
“O conjunto da população que assinou o documento, num curto espaço de tempo, mostrou ter uma noção muito clara do que quer relativamente aos cuidados de saúde, sendo que os objectivos colocados eram muito concretos”, salientou o porta-voz dos utentes, que no dia 28 de Fevereiro apresentaram em Torres Novas o resultado da recolha de assinaturas.
O abaixo-assinado foi colocado a circular no final de Janeiro, em “mais de 600 locais públicos de 100 localidades dos 11 municípios” que integram a Unidade Local de Saúde (ULS) do Médio Tejo. Entre as reivindicações e problemas apresentados no manifesto estão a “articulação dos diversos níveis de cuidados, as intermitências no funcionamento das urgências, a necessidade de mais recursos humanos, aumentar a eficácia das acções de prevenção e reforçar os cuidados de proximidade, com a reabertura das extensões de saúde encerradas ou sem cuidados médicos”.
No abaixo-assinado, os utentes defendem ainda a necessidade de “melhorar a frota de transporte para mais assistência domiciliária e inter-hospitalar, aperfeiçoar as telecomunicações e a informação e humanizar os serviços” de saúde. Como prioridades inscritas no abaixo-assinado, Manuel Soares referiu o funcionamento das urgências (maternidade, pediátrica e geral) “24 horas por dia/365 dias por ano, em articulação com cuidados primários e o SNS24, com objectivo de facilitar o acesso de todos os utentes a cuidados de saúde”.
Por outro lado, a CUSMT quer progressivamente levar os cuidados médicos às zonas rurais, além de defender a redução das listas de espera para consultas e cirurgias e o reforço das acções de prevenção e obras na Urgência de Abrantes, uma “necessidade sinalizada há mais de 20 anos”.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1660
    17-04-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1660
    17-04-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo