Sociedade | 15-03-2024 11:47

Trabalhadores das Misericórdias em greve por melhores salários e condições de trabalho

Vários serviços das Misericórdias da região estão condicionados devido à greve de trabalhadores que reivindicam melhores salários e condições de trabalho.

Os trabalhadores das Misericórdias cumprem na sexta-feira, 15 de Março, um dia de greve nacional para reivindicar salários justos e dignos, melhores condições de trabalho e a integração na esfera do Estado. A greve foi convocada pela Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais (FNSTFPS).

Numa nota à comunicação social, a federação refere que apresentou aos representantes das Misericórdias uma proposta de actualização salarial para todos os trabalhadores, mas não obteve resposta, o que levou a estrutura sindical a requerer junto do Ministério do Trabalho a conciliação do processo de revisão salarial. “Já para 2024, a FNSTFPS entregou aos representantes das Misericórdias, uma proposta de aumentos salariais de 150 euros ou de 15% para todos trabalhadores, tendo obtido como resposta daqueles, a inviabilidade de proceder a qualquer actualização relativa a 2023, ainda que relativamente a 2024 se comprometessem a apresentar uma proposta, o que não fizeram até agora”, refere a federação.

A estrutura sindical sublinha que graças aos acordos de cooperação celebrados com o Governo, as Misericórdias têm recebido apoios financeiros do Estado para assumirem as funções que o próprio Estado deveria cumprir. “Em 2023 estes acordos tiveram uma actualização entre os 7% e os 8%, sem que tal se reflectisse nos salários dos trabalhadores. Para 2024, estes mesmos acordos de cooperação tiveram um reforço de 123 milhões de euros e ainda assim, as Misericórdias ficaram-se por uma proposta de atualização salarial, para negociação, que resulta em aumentos entre dois euros e cinco euros mensais, num completo desrespeito pelos trabalhadores e pela dignidade humana”, critica.

A federação salienta que “é neste quadro que decidiu convocar a greve" em que os serviços mínimos serão assegurados nos serviços que funcionem ininterruptamente.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1660
    17-04-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1660
    17-04-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo