Sociedade | 18-03-2024 15:00

Moradores de antigo bairro clandestino do Porto Alto exigem melhores condições

Moradores de antigo bairro clandestino do Porto Alto exigem melhores condições
Francisco Simões diz que moradores podem vir a constituir comissão para reivindicar melhorias no Bairro 1º de Maio

Francisco Simões disse a O MIRANTE que os moradores ponderam criar uma comissão para reclamar melhorias no Bairro 1º de Maio, no Porto Alto. Presidente da câmara recorda que o bairro era clandestino e que as condições têm vindo a melhorar ao longo dos anos.

Alguns moradores do Bairro 1º de Maio, no Porto Alto, queixam-se que a zona está degradada. Francisco Simões diz que há passeios por construir junto das hortas, águas sujas que escorrem pela estrada e problemas com postes de telecomunicações. O morador sublinha “sentir-se mal dentro do bairro” e que está a ser ponderada a criação de uma comissão de moradores para exigir melhorias ao poder político.
De acordo com o residente, o problema dos postes de telecomunicações dura há um ano e as empresas remetem para a câmara a resolução. Já a câmara diz que é com as empresas. Francisco Simões considera ainda que as duas chaminés da Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) podiam ser deslocalizadas uma vez que estão a ocupar zona de passeio.
O presidente do município de Benavente, Carlos Coutinho (CDU), recorda que os moradores viviam uma situação muito difícil por causa dos maus cheiros constantes e que a Águas do Ribatejo investiu cinco milhões de euros para construir uma ETAR fora do perímetro urbano, o que resolveu o problema. A localização das duas chaminés da ETAR vai ser revista pela câmara, caso estejam a ocupar um futuro passeio.
Quanto às telecomunicações o autarca não tem dúvidas que o problema nos postes é da responsabilidade das empresas e que a câmara não pode fazer mais do que pedir às empresas que cumpram com o serviço em nome das populações.
Francisco Simões afirma que no bairro vivem duas famílias sem condições de habitabilidade, em barracas, e que fazem as necessidades dentro do espaço onde comem e dormem. Ao final do dia despejam os dejectos no caniçal. Uma situação que a GNR e autarquia têm conhecimento.
Carlos Coutinho relembra que o Bairro 1º de Maio era clandestino mas foi melhorando as suas condições ao longo dos anos. Foram feitos esgotos, as vias pavimentadas e a câmara deixou os moradores terem hortas. “A câmara foi conivente com algumas situações porque além das hortas algumas pessoas construíram estruturas. São situações que têm de ser tratadas porque não podem ser regularizadas uma vez que estão em leito de cheia”, refere.
A situação das duas famílias está a ser acompanhada pela rede social mas Carlos Coutinho comprometeu-se a analisar os casos. O edil avisou que não existe oferta de habitação social e que existem outros casos similares no concelho a precisar de resposta.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1660
    17-04-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1660
    17-04-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo