Sociedade | 18-03-2024 07:00

Trânsito na avenida central de Vialonga vai ter apenas um sentido

Trânsito na avenida central de Vialonga vai ter apenas um sentido
Avenida central de Vialonga vai ser transformada numa via de sentido único com zona ciclável e pedonal

Uma das artérias mais movimentadas de Vialonga vai ser adaptada para dar prioridade a quem anda a pé e de bicicleta. A solução está a dividir opiniões entre moradores e autarcas. Câmara de Vila Franca de Xira quer aproveitar fundos de 7 milhões de euros que vão chegar do Plano de Recuperação e Resiliência.

As ruas Professor Egas Moniz e Primeiro de Maio em Vialonga, que são conhecidas como a avenida central da vila, vão receber obras para passar a ter apenas um sentido de trânsito. O objectivo do município de Vila Franca de Xira é revolucionar a mobilidade em Vialonga dando prioridade a quem anda de bicicleta e a pé num investimento inserido no projecto das comunidades em acção co-financiado pelo Plano de Recuperação e Resiliência, em que Vila Franca de Xira conseguiu 7 milhões de euros de investimento para Vialonga.
O problema é que a avenida central da vila é bastante usada pela comunidade e já se começaram a ouvir queixas de alguns moradores. “Não faz sentido não perguntarem primeiro às pessoas se vão querer essa solução. O trânsito dá vida aqui ao centro da terra”, diz-nos Alfredo Nunes, que tem um café naquela artéria.
Também Anabela Barata Gomes, vereadora da CDU, abordou o assunto na última reunião do executivo, realizada precisamente em Vialonga, lamentando que a Câmara de Vila Franca de Xira não tenha realizado uma discussão pública sobre a ideia de suprimir um sentido de trânsito naquela artéria.
“Parece-nos que a questão, além de não ter sido discutida com a população, pode criar constrangimentos porque não abrange toda a rua, deixa de fora a zona do Quintanilha que, como sabemos, tem muitos problemas. Isto pode vir a contribuir para uma maior dificuldade de circulação na freguesia e a inclusão da ciclovia vai ser um primeiro teste à circulação no centro urbano”, criticou Anabela Barata Gomes.
A autarca lembrou que se o projecto não for bem pensado e desenhado irá criar perigos para a circulação dos peões, como já aconteceu noutras localidades da Área Metropolitana de Lisboa. “Fazia mais sentido fazer-se essa ciclovia junto à variante. A discussão com a população não existiu e isto são intervenções que terão fortes impactos na vivência urbana desta zona”, lamentou.
O presidente do município, Fernando Paulo Ferreira, lembra que o objectivo do projecto é melhorar a mobilidade pedonal e ciclável em Vialonga com vista a encontrar novas centralidades onde, preferencialmente, o automóvel não entre. “O trabalho já começou com algumas reabilitações mas no âmbito da operação integrada local uma fatia relevante desse investimento diz respeito à mobilidade”, explica o autarca, que garante estar a realizar reuniões regulares com os parceiros da sociedade civil de Vialonga, incluindo com o movimento associativo. “Tenho já combinada uma ida a uma reunião promovida na Junta de Freguesia de Vialonga para explicar esta operação”, assegurou.

PRR generoso para Vialonga

Entre os vários projectos aprovados para Vialonga no âmbito do PRR está o alargamento do Parque Residencial da Flamenga, a construção de um campo escutista na Mata do Paraíso e requalificações urbanas em algum edificado, bem como a construção e instalação de novos parques infantis. Incluída está também a requalificação do antigo Palácio da Flamenga que irá criar um novo espaço para a junta de freguesia e habitação acessível no âmbito do programa 1º Direito.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1660
    17-04-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1660
    17-04-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo