Sociedade | 19-03-2024 07:00

A nutricionista que quer fazer a diferença nas escolas de Benavente

A nutricionista que quer fazer a diferença nas escolas de Benavente
Rute Espanhol trabalha como nutricionista há cinco anos em Benavente e tem sido reconhecida pelo seu trabalho nas escolas

O número de alunos com excesso de peso no concelho de Benavente foi o mote para a nutricionista Rute Espanhol conceber de raiz o projecto de alimentação colectiva R23. A trabalhar há cinco anos na Câmara de Benavente a nutricionista tem conseguido resultados que já mereceram reconhecimento dos seus pares. À conversa com O MIRANTE Rute Espanhol defende um nutricionista para cada agrupamento escolar do país.

Quarenta por cento dos alunos do concelho de Benavente tinham excesso de peso ou obesidade no ano lectivo 2021/2022, um número acima da média nacional. A conclusão decorreu da avaliação antropométrica realizada nesse ano, desde o ensino pré-escolar ao secundário, em que os alunos foram medidos e pesados. O resultado reflecte a alimentação das gerações mais novas, que é pobre, pouco variada e à base de comida rápida. Hábitos que já vêm de casa.
Os números preocupantes levaram a Câmara de Benavente a actuar para baixar esses indicadores. A Divisão de Educação avaliou com os nutricionistas do município a adesão ao padrão alimentar mediterrânico, que é a dieta portuguesa, considerada das mais saudáveis do mundo. Cerca de 70% dos alunos tem uma adesão baixa a moderada a este padrão alimentar, o que levou os técnicos a actuar. “Quando temos pratos típicos da nossa gastronomia com leguminosas, feijão ou grão, a resposta dos alunos é deixar tudo no prato”, explica a nutricionista da Câmara de Benavente, Rute Espanhol.
Trabalhando para um universo de 4.500 alunos, Rute Espanhol começou a delinear o projecto R23 enquanto frequentava o mestrado em alimentação colectiva. O foco, para além da promoção da alimentação saudável nas escolas e redução do desperdício, é a segurança alimentar. Desde o ano lectivo passado que a autarquia tem gestão directa nas refeições e implementou o plano de segurança alimentar.
O sedentarismo e a ausência de actividade física programada contribuem para o aumento de peso. Cerca de 50% dos alunos do concelho não fazem actividade física programada, fora a disciplina de Educação Física. No ensino pré-escolar o número sobe para 70% das crianças sem actividade física fora da escola.

Os pais têm de dar o exemplo
Os alunos sentem a sua auto-estima afectada por causa do excesso de peso, o que também afecta a sua saúde mental. Tornam-se crianças inseguras. No concelho de Benavente os psicólogos afectos às escolas fazem acompanhamento dos alunos e Rute Espanhol acompanha os casos através da nutrição num acompanhamento multidisciplinar. “Devia existir pelo menos uma nutricionista em cada agrupamento escolar tal como já existem psicólogos. É uma questão de vontade política. As câmaras que têm nutricionistas é que têm feito esse apoio, como é o meu caso”, afirma.
Noutro espectro, com uma percentagem mais reduzida, estão os alunos com perturbações do comportamento alimentar sobretudo anorexia e bulimia. São jovens preocupados com o corpo e com o que devem comer quando fazem desporto. Influenciados muitas vezes pelas redes sociais começam a desenvolver estas patologias. Os professores de Benavente estão sensibilizados para estes casos e reportam. Rute Espanhol realiza o acompanhamento alimentar destes alunos. “Os miúdos sabem que têm de comer fruta e hortícolas mas se a família não promove esse consumo eles também não comem. Os pais têm de dar o exemplo”, diz.

Projecto premiado

Desde que o R23 começou na Escola Duarte Lopes, em Benavente, a adesão ao refeitório escolar aumentou 24% e registou-se uma diminuição do desperdício alimentar de 21%. Os resultados antropométricos também melhoraram. Os valores da relação entre a altura do aluno e o perímetro da cintura obteve melhorias significativas. A conclusão é que os alunos que comem mais vezes na cantina da escola têm uma adesão superior ao padrão de dieta mediterrânico e hábitos alimentares mais saudáveis.
Os refeitórios no município de Benavente são abertos aos pais que podem almoçar na cantina e avaliar os pratos, tal como acontece noutros concelhos da região. As ementas mensais são pensadas e revistas. Nas redes sociais do município e no site da câmara os menus escolares são disponibilizados. O R23 venceu um prémio nacional de alimentação colectiva e outros municípios já visitaram Benavente para conhecer a fórmula de sucesso.

Da cidade para o campo

Rute Espanhol é natural de Cascais onde passou a infância. Licenciou-se em Biologia na Universidade de Évora e esteve dez anos fora do país em busca de melhores condições de vida e para conhecer outras culturas. Viveu na Suécia, Suíça, França e Maurícia mas sempre com intenção de regressar a Portugal. O retorno deu-se depois do nascimento das duas filhas, em Berna, capital da Suíça.
No Porto tirou uma segunda licenciatura em Ciências da Nutrição e alimentação. Uma escolha óbvia para Rute Espanhol que considera uma especialização da Biologia Humana. Até ter a cédula profissional de nutricionista foi um percurso longo. Já era mãe quando fez estágio curricular e estágio profissional na área.
Atraída pela alimentação colectiva e apostada em fazer diferença na comunidade candidatou-se a trabalhar na Câmara de Benavente, onde está há cinco anos na Divisão de Educação. Vive há oito anos no concelho porque adora viver no campo e poder sair com os cães para passear à vontade sem o trânsito das grandes cidades.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1660
    17-04-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1660
    17-04-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo