Sociedade | 19-03-2024 12:00

Autoridades investigam crime ambiental em zona protegida de Alhandra

Dezenas de bidões com óleos usados, sobretudo de oficinas, foram despejados num terreno perto da pedreira da Cimpor e já seguiu queixa para as autoridades do ambiente.

Já avançou uma queixa nas autoridades que estão no terreno a investigar um crime ambiental que surpreendeu a comunidade de Alhandra, concelho de Vila Franca de Xira, na última semana. Dezenas de bidões com óleos usados, provenientes sobretudo de uma oficina de reparação de automóveis, foram despejados ilegalmente pela calada da noite num terreno ermo em zona protegida próximo da pedreira da Cimpor, na zona da Vila Quente na Serra do Formoso, perto da Calhandriz. A situação surpreendeu a comunidade - em particular quem usa o espaço para praticar desporto - e o Serviço de Protecção da Natureza e do Ambiente da Guarda Nacional Republicana (SEPNA) já se encontra a investigar a situação. Fonte da GNR diz ao nosso jornal que já terão sido encontrados indícios que poderão levar à identificação dos autores da descarga ilegal de resíduos.

A junta de freguesia da União de Freguesias de Alhandra, São João dos Montes e Calhandriz também já se juntou ao grupo de entidades e cidadãos que contactaram a Protecção Civil Municipal e a GNR sobre o assunto. Os bidões serão removidos logo que as autoridades terminam as investigações. Os óleos usados, sejam eles minerais ou sintéticos, são classificados de resíduos perigosos e basta um litro de óleo mal depositado para contaminar um milhão de litros de água potável. A descarga de óleos à superfície é considerada uma contraordenação muito grave com coimas que poderão ir até aos 30 mil euros.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1659
    10-04-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1659
    10-04-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo