Sociedade | 27-03-2024 10:00

Operadoras de telecomunicações falham a moradores em Vialonga

Operadoras de telecomunicações falham a moradores em Vialonga
José Luís, morador da Fonte Santa, é um dos que há muito se queixa das falhas dos operadores naquele bairro de Vialonga

Os moradores da Fonte Santa, Mogos e Santa Eulália, em Vialonga, continuam com dificuldades para comunicar por telemóvel, ver televisão ou consultar o e-mail. Autoridade Nacional de Comunicações confirma problemas e avolumar de queixas contra os três principais operadores de telecomunicações. Este ano já são quase 60.

Desde o início do ano a ANACOM - Autoridade Nacional de Comunicações confirma já ter recebido 57 reclamações de moradores de Vialonga contra os três principais operadores de telecomunicações que operam na freguesia. Tudo por causa da má qualidade do serviço incluindo problemas na recepção de sinal de televisão e má ou inexistente rede de telemóvel. Só na zona da Fonte Santa já deram entrada naquela autoridade 15 reclamações relevantes sobre a qualidade do serviço prestado e onde, recorde-se, os moradores se queixam de pagar por um serviço que, na maioria dos dias, não funciona. Depois de um primeiro abaixo-assinado com 400 assinaturas, realizado em 2021, os moradores da Fonte Santa dizem estar a preparar um novo abaixo-assinado a enviar para a Câmara de Vila Franca de Xira e para a ANACOM como forma de pressionar os operadores a intervir e a prestar um melhor serviço a quem ali vive e trabalha.
Isto porque quem vive naquele bairro há muito não consegue atender ou realizar chamadas e quem precisar de chamar uma ambulância tem de pegar no carro e ir quase até Vialonga para conseguir obter rede no telemóvel. Também as falhas de serviço de Internet dificultam o dia-a-dia da comunidade havendo quem não consiga sequer aceder à caixa de e-mail. Um problema que, de resto, se estende a outras zonas rurais do concelho de Vila Franca de Xira, como O MIRANTE tem dado nota. A paciência dos moradores e dos autarcas está a esgotar-se e o próprio presidente do município, Fernando Paulo Ferreira, confirma que a pressão junto das operadoras tem sido constante por parte da câmara municipal mas ainda sem os resultados que a comunidade esperaria.
“Fazemos esses contactos não só sobre a rede móvel como também sobre a extensão das redes fixas”, explica o autarca, que mantém a esperança no reforço da rede móvel no âmbito do concurso para alargamento da rede 5G em Portugal. “Esse alargamento e reforço é que vai abranger as zonas rurais, mas a rede fixa permitirá resolver boa parte dos problemas e esses contactos continuam com as diferentes operadoras”, garante.
A ANACOM já veio dizer que espera que a situação no concelho de Vila Franca de Xira melhore, na sequência das obrigações impostas aos operadores no leilão pela colocação de 5G, permitindo garantir que pelo menos 95% das freguesias de baixa densidade possam ter telemóvel e internet móvel com uma velocidade mínima de 100MB (megabytes) por segundo até 2025. Será esse concurso público que permitirá depois instalar a infraestrutura que, assim se espera, venha a levar fibra óptica a todas as residências, num objectivo que tem um horizonte temporal de três anos.
Além de Santa Eulália e Fonte Santa, em Vialonga, várias outras localidades rurais do concelho apresentam problemas na rede e no serviço, como Cachoeiras, Trancoso (São João dos Montes) e Calhandriz. “Não é aceitável nem compreensível, numa altura em que a Fonte Santa já está legalizada, que esta situação continue. Pagamos todos os meses por serviços que não podemos usar”, lamentava José Luís, morador da Fonte Santa, em Vialonga, quando em 2023 O MIRANTE esteve no bairro a ouvir o descontentamento de quem ali vive.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1660
    17-04-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1660
    17-04-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo