Sociedade | 01-04-2024 12:00

Agressões, ameaças e furtos são os crimes mais comuns nas escolas da região

Agressões, ameaças e furtos são os crimes mais comuns nas escolas da região
PSP realiza acções frequentes de sensibilização nas escolas e uma das últimas presenças públicas aconteceu no Dia da Protecção Civil, no Pavilhão do Cevadeiro em VFX

A violência em contexto escolar aumentou no país no último ano lectivo mas a região é um bom exemplo com o número de crimes nas escolas a descer. Entre alunos a violência continua a ser o principal motivo para as autoridades terem de intervir dentro das escolas.

As ofensas corporais, ameaças, injúrias e furtos continuam a ser os crimes mais comuns reportados à Polícia de Segurança Pública (PSP) nas escolas da região, segundo dados disponibilizados por aquela força policial a O MIRANTE. No último ano lectivo, a criminalidade nas escolas do concelho de Vila Franca de Xira desceu face ao resto do país. Ao nosso jornal a divisão policial de Vila Franca de Xira confirma ter registado 83 ocorrências, 58 a configurar situações de crime e 25 não criminais. Um número total que representa uma descida de 44% face ao ano lectivo anterior, 2021/2022, onde a polícia registou 153 ocorrências, das quais 107 de âmbito criminal e 46 não criminal, nos 39 estabelecimentos de ensino do concelho onde está presente, incluindo escolas públicas e cooperativas, abrangendo um universo de 15.300 alunos só no concelho de VFX.
Os números avançados pela PSP revelam que o concelho de Vila Franca de Xira está a ter uma tendência inversa à realidade nacional, onde a violência em contexto escolar voltou a aumentar no último ano e envolvendo idades cada vez mais precoces.
Já o Comando Distrital de Santarém da PSP - que actua nas escolas das cidades de Santarém, Cartaxo, Tomar, Abrantes, Entroncamento, Torres Novas e Ourém - diz ter registo de 117 ocorrências no último ano lectivo, 41 delas criminais e a larga maioria (76) não criminais. Das 41 ocorrências criminais registadas lideram a tabela as ofensas corporais, seguidas de injúrias e ameaças, furto, vandalismo e dano, posse de arma e cinco casos de ofensa sexual.
Em Santarém a PSP explica que para o ano lectivo de 2021/2022 a plataforma criada para registar e contabilizar este tipo de dados ainda não estava em pleno funcionamento pelo que não foi possível extrair os dados referentes a esse ano para comparação. “De salientar ainda que, no mesmo período, foram efectuados 1.188 contactos individuais por situações de abandono escolar e gestão de outras situações particulares”, acrescenta a PSP. À semelhança da divisão de Vila Franca de Xira, o Comando Distrital de Santarém da PSP explica que as equipas da Escola Segura patrulham diariamente a área das escolas localizadas na sua área de jurisdição durante todo o período escolar. “De modo a manter a comunidade escolar informada e a auto proteger-se, os polícias afectos à Escola Segura realizam várias acções de sensibilização junto dos alunos, abrangendo os mais variados temas, nomeadamente Bullying e Cyberbullying, Direitos Humanos, Prevenção e Segurança Rodoviária, Segurança Infantil, Violência no namoro, Violência entre pares, entre outros”, conclui.

Maioria dos crimes dentro da escola

A nível nacional, o programa Escola Segura da PSP registou 3.824 ocorrências em estabelecimentos de ensino, 2.708 das quais de natureza criminal, mais 9% que no ano anterior, com 77% dos crimes a terem lugar dentro das escolas.. Em todo o país houve mais 299 ocorrências nas escolas em relação ao ano escolar de 2021/2022, sobretudo as que configuram crime, passando de 2.444 para 2.708. A posse e uso de arma diminuiu face ao ano anterior (cerca de 55%), havendo registo da apreensão de 35 armas em contexto escolar - 27 armas brancas, sete armas de outras tipologias e uma arma de fogo.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1660
    17-04-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1660
    17-04-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo