Sociedade | 21-04-2024 21:00

Obras na ponte Marechal Carmona vão causar grandes transtornos aos automobilistas

Obras na ponte Marechal Carmona vão causar grandes transtornos aos automobilistas
Nos próximos meses os condutores vão ter muitos constrangimentos para atravessar ponte Marechal Carmona em Vila Franca de Xira

Município de Vila Franca de Xira promete acompanhar de perto a intervenção de fundo na ponte sobre o Tejo para tentar minimizar os eventuais constrangimentos de trânsito. A empreitada é da responsabilidade da empresa pública Infraestruturas de Portugal.

As obras de 22 milhões de euros de reforço estrutural da Ponte Marechal Carmona, em Vila Franca de Xira, são trabalhos de fundo e por isso a comunidade deverá estar preparada para eventuais problemas na fluidez do trânsito para a atravessar nos próximos meses. Segundo a vice-presidente do município de Vila Franca de Xira, Marina Tiago, há um conjunto de trabalhos que terão de ser realizados obrigatoriamente em período diurno, quando há maior circulação de trânsito. “Esta era uma requalificação que se impunha e era urgente. As obras decorrerão durante meses e acompanharemos de perto no sentido de minimizar os impactos que serão causados na circulação. Da nossa parte tudo faremos para que isso aconteça”, prometeu a autarca, que reagia às dúvidas levantadas pela vereadora da CDU, Anabela Barata Gomes, sobre o assunto.
A vereadora comunista saudou a importância das obras avançarem mas alertou para os problemas de circulação que se vão criar. “Esperamos que a câmara se possa dirigir ao Governo para que as obras possam ocorrer sobretudo em período nocturno, porque senão os constrangimentos de trânsito serão bastantes”, alertou Anabela Barata Gomes.
A Ponte Marechal Carmona, em Vila Franca de Xira, que há mais de 70 anos une as duas margens do rio Tejo e é um símbolo da cidade, e precisa de obras de reforço estrutural. Tal como O MIRANTE já deu nota, a verba é tão elevada que a Infraestruturas de Portugal (IP), a entidade responsável pela sua manutenção, lançou a 14 de Março o concurso público para a obra mas já emitiu um despacho para se proceder à repartição dos encargos pelos próximos três anos: a primeira tranche a pagar até 2025, com um custo de cinco milhões e 550 mil euros; a segunda em 2026, que vai custar oito milhões e 540 mil euros; e a tranche final, agendada para 2027, orçada em sete milhões e 910 mil euros.
O concurso público para a reabilitação e reforço estrutural da ponte foi publicado a 14 de Março e prevê trabalhos com um prazo de execução de 900 dias sem comparticipação de fundos comunitários. Trabalhos que incluem, entre outros, a reabilitação geral da ponte, incluindo o tabuleiro rodoviário e o reforço da segurança estrutural da ponte à acção sísmica. Também vão ser efectuados trabalhos de impermeabilização e repavimentação do tabuleiro bem como a protecção geral e tratamento das estruturas metálicas.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1665
    22-05-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1665
    22-05-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo