Sociedade | 25-04-2024 12:00

Hospitalização Domiciliária no Médio Tejo evitou mais de 15 mil dias de internamento em hospitais

Hospitalização Domiciliária no Médio Tejo evitou mais de 15 mil dias de internamento em hospitais

Equipa de profissionais da ULS Médio Tejo podia ter dado oito “voltas à Terra” com os quilómetros percorridos nos últimos cinco anos no programa de hospitalização domiciliária. Mais de 800 utentes beneficiaram de cuidados de saúde diferenciados e personalizados.

A Hospitalização Domiciliária arrancou há cinco anos na região do Médio Tejo. Nesse período receberam cuidados de saúde mais de 800 utentes, cuidados idênticos àqueles que usufruiriam se submetidos a internamento numa enfermaria num dos três hospitais da Unidade Local de Saúde (ULS) Médio Tejo, Abrantes, Tomar e Torres Novas.

Desde o arranque deste modelo alternativo de internamento hospitalar, que registou uma taxa de ocupação média de 94% nos últimos cinco anos, foram desviados mais de 15 mil dias de internamento dos três hospitais. No balanço de cinco anos de actividade, a equipa de profissionais da Unidade de Hospitalização Domiciliaria (UHD) poderia ter dado oito “voltas à Terra”, com os quilómetros que acumulou para levar cuidados de saúde aos doentes internados em hospitalização domiciliária. O conta quilómetros da equipa acumulou mais de 325 mil quilómetros para prestar assistência aos doentes internados nas suas residências.

O ano de 2023 marcou a entrada de uma nova fase de expansão da unidade de Hospitalização Domiciliária do Médio Tejo. Durante o ano passado a hospitalização domiciliária expandiu-se para a comunidade, através da realização de protocolos e parcerias entre a ULS Médio Tejo e entidades locais do terceiro sector, para o estabelecimento de canais de comunicação e sinalização directa de doentes. Em 2023 foram assinados três protocolos – com a Santa Casa da Misericórdia de Abrantes, com a Santa Casa da Misericórdia de Mação e com o Lar da ACATIM, nas Mouriscas, estando projetacdo o alargamento destes protocolos de cooperação a outras estruturas de apoio a idosos em 2024.

No acumulado do ano passado foram admitidos a internamento domiciliário um total de 178 doentes, que envolveram 2107 visitas de profissionais de saúde para a prestação de cuidados de saúde. O tempo médio destas visitas fixou-se em 26 minutos. Em 2023, a UHD registou um aumento das referenciações de doentes dos distintos serviços e especialidades hospitalares, durante o ano passado, nomeadamente das especialidades de Cardiologia, Pneumologia, Nefrologia, Serviço de Medicina Intensiva e Cuidados Paliativos.

“A hospitalização domiciliária é um compromisso da ULS Médio Tejo com a qualidade de vida dos utentes, com a humanização da prestação dos cuidados de saúde e com a sustentabilidade do Serviço Nacional de Saúde”, explica Casimiro Ramos, presidente do conselho de administração da ULS Médio Tejo.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1664
    15-05-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1664
    15-05-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo