Sociedade | 04-05-2024 12:00

Santarém presta tributo a militares de Abril e autarcas do pós-revolução

Santarém presta tributo a militares de Abril e autarcas do pós-revolução
Câmara de Santarém homenageou diversas personalidades com a medalha de ouro municipal

A Câmara de Santarém atribuiu a Medalha de Ouro do Município a antigos militares da Escola Prática de Cavalaria e ao presidente da associação das Comemorações Populares do 25 de Abril. Os elementos da comissão administrativa que geriu a autarquia de 1974 a 1976 receberam a Medalha de Mérito.

A Câmara de Santarém prestou homenagem a uma série de personalidades no âmbito das comemorações do cinquentenário do 25 de Abril. Na tarde de sábado, 27 de Abril, receberam a Medalha de Ouro do Município a Carlos Maia Loureiro, em nome dos militares da coluna da Escola Prática de Cavalaria comandada por Salgueiro Maia; os coronéis Joaquim Correia Bernardo e António Garcia Correia, capitães de Abril que estiveram envolvidos nas operações; e João Luís Madeira Lopes, presidente da Comemorações Populares do 25 de Abril – Associação Cultural.
Com a Medalha de Mérito do Município de Santarém foram homenageados os elementos da comissão administrativa que geriu a Câmara de Santarém no pós-revolução e até às primeiras eleições autárquicas, em 1976. Foram agraciados com a condecoração Manuel Fernandes Lemos Melancia, Raúl Augusto Duarte Violante e Grimoaldo Alhandra Duarte. A título póstumo foram distinguidos Egídio Neves Veloso, Henrique Pereira Dias Ferreira, Francisco José Martins Robalo e Luís Eugénio Martins Ferreira. O município já homenageara há anos o presidente da comissão administrativa, Francisco Viegas.
O presidente da Câmara de Santarém, Ricardo Gonçalves, e o vereador que coordena o Conselho da Medalha Municipal, Nuno Domingos, abriram e encerraram, respectivamente, a série de discursos, destacando os homenageados como exemplos para a comunidade cujo mérito é merecedor do mais justo reconhecimento.

“Devo tudo a Santarém e sou eu que levo a medalha”
As propostas foram aprovadas por unanimidade pelo Conselho da Medalha Municipal e pelo executivo da Câmara de Santarém. A entrada das condecorações decorreu no repleto Salão Nobre dos Paços do Concelho, onde os distinguidos foram alvo de calorosas ovações e agradeceram o tributo que lhes foi conferido ou a seus familiares.
O coronel Joaquim Correia Bernardo protagonizou um dos discursos mais extensos e emotivos, fazendo uma declaração de amor à cidade. O capitão de Abril e companheiro de armas de Salgueiro Maia na Escola Prática de Cavalaria, recordou que foi em Santarém que fez a escola primária e o liceu, que jogou à bola e esfolou os joelhos na sua meninice; foi na cidade escalabitana que aprendeu a sonhar e pisou pela primeira vez um palco. “Devo tudo a Santarém e sou eu que levo a medalha. Ironia…”. O militar terminou dizendo que foi Santarém que levou a chave das portas que Abril abriu e apelando ao município para que concretize o projecto do Museu de Abril e dos Valores Universais (MAVU). Outro militar de Abril, o coronel António Garcia Correia, mencionou a sorte de ter ido viver para Santarém na sua juventude, cidade que só deixaria para as comissões que fez na Guerra do Ultramar, lembrando os tempos que trabalhou de perto com Salgueiro Maia e Correia Bernardo nos preparativos do 25 de Abril. “Santarém nada me deve. O que fiz foi por convicção e pela minha forma de ser e de estar na vida”, referiu.
João Luiz Madeira Lopes, advogado que na altura do 25 de Abril era um jovem envolvido na Comissão Democrática Eleitoral (CDE), confessou estar “encantado” com a distinção de que foi alvo. Já Raul Violante, o ‘benjamim’ da primeira comissão administrativa, falou dos desafios com que os autarcas se depararam nos primórdios do poder local democrático, repetindo muitas das ideias que havia expressado recentemente durante uma conferência sobre esse tema. O presidente da Junta de Freguesia de Pernes sublinhou que na altura estava quase tudo por fazer.
Grimoaldo Duarte, que celebrou 100 anos em 2024, foi outro dos homenageados que foi para lá das palavras de circunstância, mencionando que Santarém está entre os amores da sua longa vida, a par com a antiga Escola de Regentes Agrícolas, onde foi aluno e professor, e a Académica de Santarém, de que é sócio número um.
O coronel Carlos Maia de Loureiro, que recebeu a Medalha de Ouro em nome dos elementos da coluna de Salgueiro Maia, concluiu a série de agradecimentos deixando um apelo à luta permanente pelos ideias da liberdade e da democracia. Disse ainda que fica fiel depositário dessa condecoração, que entregará ao Museu de Abril e dos Valores Universais quando este abrir.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1665
    22-05-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1665
    22-05-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo