Sociedade | 14-05-2024 12:00

O carpinteiro e a costureira representados no mural em Azambuja

O carpinteiro e a costureira representados no mural em Azambuja
Maria Fernanda e Ernesto Ouro ficaram eternizados no mural alusivo aos 50 anos da Revolução dos Cravos, instalado na entrada nascente da vila de Azambuja

Maria Fernanda e Ernesto Ouro, casados há 55 anos, estão pintados no mural comemorativo dos 50 anos do 25 de Abril em Azambuja, representando o património humano do concelho. Ele foi carpinteiro toda a vida e ela costureira e chegou a fazer os primeiros trajes do grupo Tradicional “Os Casaleiros”, ao qual pertencem.

O casal Maria Fernanda e Ernesto Ouro está perpetuado no mural comemorativo dos 50 anos do 25 de Abril na entrada nascente junto à Estrada Nacional nº3 em Azambuja. Membros do Grupo Tradicional “Os Casaleiros” do Centro Cultural e Recreativo de Casais dos Britos, representam na obra pintada por Styler, nome artístico João Cavalheiro, o património humano do concelho. O casal não estava a contar ser seleccionado para modelo do mural com 78 metros quadrados, e Maria acha que o que pesou na escolha terão sido as características distintas dos seus trajes de enxertador de vinhas e de aguadeira. O par foi escolhido depois de uma sessão fotográfica na zona da igreja matriz com elementos de “Os Casaleiros” e Rancho Folclórico Ceifeiras e Campinos. A junta de freguesia entregou as fotos ao artista e este a partir delas fez a pintura. Ernesto Ouro tem 77 anos, é natural de Azambuja e no início da secção fundada em 1994 teve o papel de recrutar pessoas. A companheira e madrinha do Grupo Tradicional “Os Casaleiros”, Maria Fernanda Ouro, 74 anos, é natural de Casais dos Britos e nasceu numa casa que hoje faz parte da propriedade do casal. Casaram-se em 1969. Conheceram-se na juventude quando ele se dedicava à carpintaria e ela à costura. Maria passava todos os dias à porta do trabalho de Ernesto quando ia à fonte de Santo António buscar água. A costureira foi a responsável, com uma prima, por fazer alguns dos primeiros trajes utilizados pelos membros do grupo.
O casal já actuou em Viana do Castelo, na ilha do Pico e na ilha do Faial (Açores), em Faro e também na Expo 98. Ernesto Ouro trabalhou sempre como carpinteiro e ainda realiza alguns trabalhos ocasionalmente. Além disso, trabalha na horta da sua propriedade. Um dos seus próximos trabalhos vai ser construir brinquedos em madeira para estarem em montras engalanadas durante a Feira de Maio em Azambuja. Ambos têm dois filhos e três netos. A filha com 54 anos é proprietária de um talho no Mercado Municipal de Azambuja e o filho com 47 anos foi um dos membros iniciais do Grupo Tradicional “Os Casaleiros” ocupando o papel de tocador de viola, apesar de já não fazer parte do grupo.
Segundo o presidente do Centro Cultural e Recreativo de Casais dos Britos, Pedro Silva, a secção de folclore representa um baile à moda antiga. Em 2024, “Os Casaleiros” fizeram 30 anos. O grupo, que integra a Federação de Folclore Português, organiza a “Festa da Amizade Etnográfica” que se realiza em Setembro. As festas anuais de Casais dos Britos, conhecidas actualmente como “Festival do Frango Assado à Casaleira”, realizam-se em Agosto. O grupo tem 45 elementos e as idades dos membros variam entre os seis e os 85 anos. Rui Franco é o ensaiador.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1665
    22-05-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1665
    22-05-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo