Sociedade | 22-05-2024 07:00

Banhos de água fria, infiltrações e piso em mau estado no Pavilhão Municipal de Azambuja

Banhos de água fria, infiltrações e piso em mau estado no Pavilhão Municipal de Azambuja
TEXTO COMPLETO DA EDIÇÃO SEMANAL
Pavilhão municipal é utilizado por mais de uma dezena de associações desportivas

Equipamento, utilizado por centenas de alunos e atletas do movimento associativo, é da responsabilidade da câmara municipal que admite necessidade de reparações e garante que todas serão feitas a seu tempo.

O Pavilhão Municipal de Azambuja, utilizado diariamente por alunos das escolas locais e atletas, está a precisar de obras a vários níveis e a falta das mesmas foi motivo de discussão na última assembleia municipal. Além de falhas na iluminação, devido a luminárias que se encontram partidas, há infiltrações, piso danificado e não tem havido água quente nos balneários. “Há alguma coisa a falhar e gostava que o senhor presidente pudesse explicar porque é que o pavilhão está naquelas condições”, afirmou o presidente da Junta de Azambuja, André Salema (PS).
Reconhecendo que é preciso reparar o piso, que se encontra em mau estado, o presidente da Câmara de Azambuja, Silvino Lúcio (PS), disse desconhecer que não havia água quente para os utilizadores do espaço desportivo tomarem banho nas devidas condições. Quanto às roturas na canalização, o autarca garantiu que já foram reparadas.
Contactado por O MIRANTE, o vice-presidente do município, que detém o pelouro do Desporto, adiantou que o problema com a água quente está a ser resolvido através do arranjo da “bomba” responsável por regular a temperatura. Mas tal situação, sublinhou, “não impede que se tome lá banho”. Relativamente à iluminação no pavilhão, António José Matos (PS) explicou que as luminárias se encontram a “muitos metros de altura” e que, por isso, sempre que é preciso proceder à sua substituição a autarquia tem de recorrer ao aluguer de uma escada elevatória. “Ir de imediato é impossível porque não temos elevador. E não vamos fazê-lo sempre que uma lâmpada é partida, temos de programar as coisas”, vincou.
Ainda sobre o piso em mau estado, António José Matos referiu ao nosso jornal que o município está a estudar que tipo de piso deve ser colocado e que essa obra será feita assim que houver disponibilidade financeira. No entanto, ressalvou, o piso existente não impossibilita o normal funcionamento das actividades desportivas que ali decorrem e que são muitas. “O pavilhão funciona todos os dias das 08h30 às 23h00 com escolas, karaté, danças de salão... são mais de uma dezena de associações que o utilizam, inclusive de fora do concelho”, disse, sublinhando que se trata de “um equipamento importantíssimo e que envolve muitos gastos. Sabemos muito bem o que temos de fazer e não é por haver reparos do presidente da junta”, concluiu.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1668
    12-06-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1668
    12-06-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo