Sociedade | 23-05-2024 15:00

Cantores da Semana da Ascensão na Chamusca levam 200 mil euros nas actuações

Cantores da Semana da Ascensão na Chamusca levam 200 mil euros nas actuações
Executivo da Chamusca, presidido por Paulo Queimado, tem gasto centenas de milhares de euros na contratação de artistas para a Semana da Ascensão. Foto CM Chamusca

Câmara da Chamusca gastou pelo menos 200 mil euros em nove espectáculos musicais na Semana da Ascensão, certame que decorreu ao longo de nove dias. Valor gasto é um dos maiores de sempre na autarquia.

A Câmara Municipal da Chamusca deverá bater o recorde de despesa na última edição da Semana da Ascensão, tendo em conta os valores pagos aos artistas que pisaram o palco principal do certame, que decorreu entre 4 e 11 de Maio. O município presidido pelo socialista Paulo Queimado, que cumpre o seu último mandato à frente da autarquia, terá gasto cerca de 200 mil euros em artistas. A este valor acresce ainda os custos dos espectáculos musicais nos dois outros palcos do certame, sendo que, por exemplo, no palco Juventude, os espectáculos envolveram um investimento superior a 15 mil euros. As actuações de ranchos e grupos de dança e cantares ao longo da semana, nomeadamente no Festival de Folclore, que decorreu no Palco Arraial, situado no Jardim Dr. Joaquim Maria Cabeça, vulgo Jardim Maria Vaz, também custaram milhares de euros.
No palco principal da Semana da Ascensão na Chamusca actuaram nove artistas, sendo que a dois dos espectáculos, Orquestra Típica Scalabitana e Chamusca Cantada, O MIRANTE não teve acesso aos valores. A cantora e compositora Bárbara Tinoco foi quem levou a maior fatia do bolo, com um custo total superior a 28 mil euros. Em segundo lugar, Mickael Carreira e Carlão, artistas que actuaram em noites diferentes, receberam do município mais de 45 mil euros, repartidos de igual forma. O espectáculo da Banda GNR custou aos cofres municipais mais de 22 mil euros e o espectáculo da jovem cantora cabo-verdiana Soraia Ramos envolveu um investimento superior a 15 mil euros. A artista Rita Rocha, que actuou no dia 7 de Maio, custou cerca de 12 mil euros, sendo que a cantora Romana, que actuou na Quinta-Feira de Ascensão, feriado municipal, envolveu um investimento de cerca de oito mil euros.
O município da Chamusca gastou ainda mais de 43 mil euros no aluguer de som, luz, palcos e equipamentos de transmissão de imagens. No aluguer de audiovisuais a câmara investiu mais de 20 mil euros.

Custos milionários mas sem receita
Os números apresentados não reflectem as despesas com a organização e logística da festa, material, segurança, corrida de toiros, com as várias largadas de toiros e as actividades que foram decorrendo ao longo da semana, nomeadamente os “showcooking’s”. Para a realização das largadas de touros, por exemplo, o município investiu mais de 15 mil euros. A julgar pelo dinheiro investido nos espectáculos musicais é previsível que o custo total da Semana da Ascensão atinja o seu valor recorde. Recorde-se que, segundo um relatório financeiro a que O MIRANTE teve acesso, a Festa da Ascensão em 2023 custou mais de 450 mil euros e gerou uma receita de 30 mil euros, em aluguer de espaços, patrocínios e vendas de artigos.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1669
    19-06-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1669
    19-06-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo