Sociedade | 04-06-2024 18:00

Obras nos centros de saúde de Azambuja e Alcoentre com candidaturas finalmente aprovadas

Extensão de Saúde de Alcoentre está encerrada há quase ano e meio e o Centro de Saúde de Azambuja espera há demasiado tempo por um sistema de ar condicionado que funcione. Obras vão ser financiadas pelo PRR e estão agora mais perto de arrancar.

Encerrada há um ano e cinco meses, a Extensão de Saúde de Alcoentre, no concelho de Azambuja, está finalmente perto de receber as tão ambicionadas obras de requalificação agora que foi aprovada a candidatura à verba garantida pelo Plano de Recuperação e Resiliência (PRR). A informação foi avançada na última reunião pública do executivo camarário pelo presidente do município de Azambuja, Silvino Lúcio (PS).
O autarca adiantou que a câmara municipal já começou a receber documentação relativa à responsabilidade civil e que assim que a verba ficar disponível será lançado o concurso público para a empreitada. Além deste, foi igualmente aprovado o projecto para a reparação do sistema de ar condicionado no Centro de Saúde de Azambuja, financiado pelo mesmo programa de fundos comunitários.
Tal como O MIRANTE noticiou em Junho de 2023, as obras nestas unidades de saúde foram contempladas no programa de investimentos “Cuidados de Saúde Primários com mais respostas” do PRR. No aviso publicado a 16 de Junho ambas as intervenções surgiam com uma verba de 250 mil euros para a extensão de Alcoentre e de 151.400 euros para a Unidade de Cuidados de Saúde Primários de Azambuja. Careciam no entanto de apresentação de candidatura, na altura, por parte da Administração Regional de Saúde, que teve de voltar a ser apresentada em 2024, desta vez pelo município que assumiu competências na área dos equipamentos de saúde.

Utentes continuam a demonstrar descontentamento com atrasos
Cansados de esperar pelas prometidas obras que lhes vão devolver o acesso a cuidados de saúde primários na freguesia, alguns populares têm demonstrado o seu descontentamento em reuniões públicas camarárias. Foi o que aconteceu na última sessão, com António Loureiro a questionar qual o calendário previsto para o começo das obras e reabertura da Extensão de Saúde de Alcoentre. Sobre este ponto, o presidente do município disse que não podia avançar uma data, referindo que estando ambas as empreitadas isentas de visto do Tribunal de Contas espera-se que o arranque seja célere.
Também o presidente da Junta de Alcoentre, Francisco Morgado, interveio sobre o tema, perguntando se há algum avanço na possibilidade de os utentes poderem, provisoriamente, ser atendidos num gabinete improvisado no quartel dos bombeiros locais. Uma possibilidade que, recorde-se, já tinha sido colocada e que, segundo Silvino Lúcio, não avançou por causa da falta de instalação do sistema informático que permite aos médicos aceder à informação clínica dos utentes.
O presidente da câmara disse, em resposta a Francisco Morgado, que as reuniões com a Unidade Local de Saúde não têm sido produtivas e que delas advêm “poucas ou nenhumas respostas”. Em breve, avançou, decorrerá mais uma em Castanheira do Ribatejo, na qual voltará a levantar o assunto e questionar sobre a possibilidade de os utentes de Alcoentre poderem receber tratamento no quartel dos bombeiros ao invés de terem de se deslocar a Manique do Intendente.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1669
    19-06-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1669
    19-06-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo