Sociedade | 15-06-2024 15:00

Assessora do Presidente da República foi à reunião de câmara queixar-se do estacionamento abusivo em Santarém

Assessora do Presidente da República foi à reunião de câmara queixar-se do estacionamento abusivo em Santarém
Patrícia Fonseca, à esquerda, foi à reunião de câmara pedir mais atenção da PSP e do executivo para a questão do estacionamento abusivo no centro histórico da cidade

Patrícia Fonseca, ex-deputada do CDS, vive no centro histórico de Santarém e foi à reunião de câmara dar voz ao desagrado de quem reside nessa zona, devido ao estacionamento abusivo e à escassez de lugares para os moradores deixarem as suas viaturas.

A ex-deputada do CDS na Assembleia da República e na Assembleia Municipal de Santarém foi à última reunião de câmara em Santarém queixar-se de problemas de trânsito e estacionamento com que se confrontam os moradores do centro histórico da cidade. Patrícia Fonseca, que actualmente é consultora da Presidência da República para as áreas da Agricultura e Economia, criticou o “estacionamento selvático” que acontece em certas artérias, sobretudo desde que houve obras na Praça Visconde Serra do Pilar, zona onde reside. “São queixas unânimes dos moradores do centro histórico”, referiu.
A Rua João Afonso e a Rua 1º de Dezembro, junto à Igreja de Marvila, foram exemplos apontados de estacionamento abusivo frequente e Patrícia Fonseca observou que sendo a fiscalização do estacionamento da responsabilidade da PSP, também é competência da Câmara de Santarém exigir à PSP que actue de forma mais interventiva. “Ontem estava um carro estacionado à porta da Igreja de Marvila. Se a porta estivesse aberta estacionavam dentro da igreja”, ironizou.
A moradora queixa-se da escassez de opções de estacionamento para os residentes, revelando que nos dias em que trabalha em Lisboa quando chega, já ao início da noite, é muito difícil encontrar lugar para o automóvel. Patrícia Fonseca questionou também o corte do acesso à Praça Visconde Serra do Pilar, com a colocação de pilaretes amovíveis, limitando-se o acesso apenas a moradores, cargas e descargas e veículos da Águas de Santarém, que ali tem sede. Serão dadas chaves para baixar os pilaretes mas a munícipe tem dúvidas que essa solução seja funcional.
O presidente da Câmara de Santarém, Ricardo Gonçalves (PSD), disse que tem sido pedido à PSP uma maior fiscalização do estacionamento abusivo nas zonas mencionadas e noutros pontos da cidade e afirmou esperar que o sistema de videovigilância recentemente inaugurado possa dar uma ajuda nesse domínio. O autarca considerou “vergonhoso” o que se passa nalguns pontos da cidade, estando a ser estudada uma solução para a Rua João Afonso que pode passar pela colocação de pilaretes nos passeios. Há duas semanas, um cidadão invisual foi atingido por um carro que estacionava de marcha-atrás em cima do passeio nessa artéria, onde os carros mal estacionados também já impediram a circulação de veículos de socorro.
Ricardo Gonçalves disse ainda ser uma falácia de que não existe estacionamento, mencionando que na envolvência do centro histórico há mais de mil lugares disponíveis, entre estacionamento tarifado e livre. “É muito claro que essas pessoas devem ser autuadas devido à sua falta de civismo”, disse o presidente. O vice-presidente, João Teixeira Leite, reforçou dizendo que “é enorme e difícil de qualificar a falta de civismo” a que se assiste nalgumas zonas, dando o exemplo junto à Igreja de Marvla.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1672
    10-07-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1672
    10-07-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo