Sociedade | 17-06-2024 12:00

Antigo Teatro Rosa Damasceno em Santarém à venda em leilão por 350 mil euros

Antigo Teatro Rosa Damasceno em Santarém à venda em leilão por 350 mil euros
Antigo Teatro Rosa Damasceno é uma mancha na paisagem no centro histórico de Santarém

Património da insolvente Enfis, Hotelaria e Turismo está em leilão até dia 2 de Julho. Além do Rosa Damasceno, estão no mercado também o edifício do hotel junto ao Hospital de Santarém, por quase três milhões de euros, e outro património da empresa que pertenceu ao grupo Enfis, do empresário Joaquim Rosa Tomaz.

O antigo Teatro Rosa Damasceno, em Santarém, está à venda em leilão electrónico com um valor base de 350 mil euros. O degradado edifício faz parte do lote de imóveis colocados no mercado em resultado do processo de insolvência da empresa Enfis, Hotelaria e Turismo, que integrou o grupo Enfis liderado pelo empresário Joaquim Rosa Tomaz. Outro património de relevo em leilão é o Hotel UMU, também em Santarém, nas proximidades do hospital distrital, que tem um valor base de 2.969.000 euros.
Da lista constam ainda um apartamento duplex em Alvor (Portimão) pelo valor de 444.823 euros; parcelas de terreno em Santarém com um valor de 70.370 euros; um sótão em Santarém por 12.500 euros; e mobiliários de hotelaria com um valor base de 35.740 euros. O leilão electrónico teve início no dia 3 de Junho e as propostas podem ser apresentadas até às 15h00 de dia 2 de Julho de 2024.
Tal como O MIRANTE noticiou, a sentença de declaração de insolvência da Enfis, Hotelaria e Turismo foi proferida no dia 10 de Abril de 2022, pelo Juízo do Comércio de Lisboa. Em causa estavam dívidas na ordem dos 4,3 milhões de euros a diversas entidades, como bancos, sociedades de garantia mútua, Fisco, Segurança Social, Câmara de Santarém e empresas várias. A insolvência foi requerida pela Caixa Económica Montepio Geral, em Dezembro de 2020.
Pelo meio existiu um Processo Especial de Revitalização (PER), que veio a ser declarado encerrado, por despacho de 10 de Maio de 2021, depois de os principais credores se terem pronunciado nesse sentido, não chegando a acordo com a Enfis. Uma decisão de que a empresa recorreu primeiro para o Tribunal de Relação de Lisboa, que julgou a apelação improcedente, e depois para o Supremo Tribunal de Justiça, que decidiu, em 22 de Fevereiro de 2022, não admitir o recurso nem tomar conhecimento do objecto do mesmo.
A Enfis, Hotelaria e Turismo foi proprietária do antigo Teatro Rosa Damasceno e dos terrenos adjacentes, nas traseiras do imóvel, onde a empresa proibiu a realização de obras de consolidação das encostas, promovidas pelo município. A antiga sala de espectáculos, em avançado estado de degradação, foi adquirida em 2004 pelo grupo Enfis ao Clube de Santarém, agremiação discreta no mundo associativo da cidade, em troca por terrenos para construção em Almeirim. Na altura falou-se num negócio avaliado em 1 milhão de euros.
A intenção do Grupo Enfis seria requalificar e remodelar aquele edifício classificado como de interesse público, dotando-o de novas valências, nomeadamente áreas comerciais e habitacionais. No entanto os projectos nunca saíram do papel. E, em Março 2007, um incêndio de causas desconhecidas destruiu quase por completo o interior da antiga sala de espectáculos. Sobraram as paredes que continuam a manchar a paisagem de uma das zonas mais nobres da cidade.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1673
    17-07-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1673
    17-07-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo