Sociedade | 26-06-2024 12:00

ABEIV tem liderança no feminino e sonha com creche e lar de idosos

ABEIV tem liderança no feminino e sonha com creche e lar de idosos
TEXTO COMPLETO DA EDIÇÃO SEMANAL
Margarida Penedo lidera uma direcção maioritariamente composta por mulheres que tem mandato até Dezembro de 2027

Margarida Penedo é desde Janeiro a presidente da direcção da Associação para o Bem-Estar Infantil de Vialonga, o segundo maior empregador da freguesia com um orçamento anual a rondar os três milhões de euros e que serve mais de 1.200 utentes. Nova direcção é composta quase só por mulheres.

Se amanhã a Associação Para o Bem-Estar Infantil de Vialonga (ABEIV), concelho de Vila Franca de Xira, construísse uma nova creche ela iria encher e ainda sobravam crianças em lista de espera. Um dado que é revelador da escassez de resposta que existe para a valência de creche e pré-escolar e que tem sido uma das principais preocupações dos novos dirigentes da ABEIV, que tomaram posse em Janeiro.
Ao leme dos destinos da colectividade como presidente da direcção está Margarida Penedo, que lembra que após o 25 de Abril de 1974 estas instituições particulares de solidariedade social (IPSS) foram “o braço direito e o esquerdo” da administração central quando foi preciso dar resposta às necessidades. “Apostou-se muito nas IPSS e agora vai-se tirando aos poucos. Não se vai rentabilizando o que existe. Eu não discordo que a administração central assuma o que lhe é devido. Mas quando as IPSS deixam de fazer tanta falta e as salas começam a fechar, devidamente equipadas e com pessoas habilitadas para lá estar, o que é feito a essas pessoas? Vão para onde? É aí que o trabalho não está bem feito. Existe a resposta e ela fez falta a dada altura. Mas as IPSS para o pré-escolar são o parente pobre do Governo, que já não precisa delas. E começamos a fechar salas”, lamenta.
Margarida Penedo é educadora de infância e vive em Vialonga há 16 anos. Começou a sua vida profissional em 2001 numa IPSS na Quinta do Mocho. Hoje está no Agrupamento de Escolas de Vialonga e teve o primeiro contacto com os corpos sociais da ABEIV há cinco anos, depois de os filhos terem frequentado a instituição. A associação é hoje o segundo maior empregador da freguesia, com mais de 200 trabalhadores, um orçamento a rondar os três milhões de euros e a servir mais de 1.200 utentes.
A dirigente garante que a ABEIV está de boa saúde financeira e social e que o trabalho em prol da comunidade é para manter, com novos projectos e sonhos no horizonte, incluindo um projecto para requalificar o pólo da Aboboreira em creche e construir um novo lar para os idosos de Vialonga, onde a associação já tem o terreno e projecto e só aguarda o resultado de uma candidatura feita ao programa PARES.
Da lista de 13 pessoas eleitas para um mandato que só termina em Dezembro de 2027, apenas três são homens. “Somos hoje uma instituição quase toda dirigida por mulheres. O paradigma está a mudar”, confirma a dirigente, lembrando que as mulheres, por terem outra sensibilidade, compreendem melhor as dinâmicas de uma casa como a ABEIV. “Não discordo dos dirigentes serem remunerados embora ache que esse não é o princípio do movimento associativo. Não fazemos isto por dinheiro, somos todos voluntários, a única coisa que levamos é aprendizagem e a relação com as pessoas. É disso que gosto, de saber que estamos a fazer o bem para a comunidade”, partilha a O MIRANTE.

Não se imagina Vialonga sem ABEIV
Os órgãos sociais foram eleitos em lista única, o que faz a dirigente analisar que futuro terão estas instituições. “Se não fosse a nossa lista a casa tinha de ter uma comissão administrativa para não a deixar cair. Mas a seguir podia cair nas mãos, não se sabe bem de quem, e não é isso que queremos para a nossa freguesia, a terra onde moramos e o que é nosso. Temos feito um esforço para manter e dar continuidade a esta casa, pelos trabalhadores e todas as famílias que dependem de nós”, defende.
Actualmente, explica Margarida Penedo, a ABEIV tem valências de creche familiar, berçário, pré-escolar, ATL, casa de acolhimento residencial para crianças em risco, apoio domiciliário, centro de convívio de idosos e assegura também 14 mil refeições escolares por mês e refeições para as cantinas sociais, dando apoio do banco alimentar a 50 agregados familiares. “Não se imagina Vialonga sem a ABEIV. Estas responsabilidades tiram-nos algum sono e tempo às nossas vidas. E é muita responsabilidade chegar ao fim do mês com tudo em dia e a assegurar o bom atendimento às crianças. Podemos dizer que somos um orgulho de Vialonga e do concelho”, confessa, elogiando as excelentes relações entre o município e a junta de freguesia.
A colectividade está a celebrar 47 anos de serviço à comunidade e entre os objectivos futuros dos dirigentes está também manter o tradicional jantar da mulher, promovido em Março em Vialonga, visando a angariação de fundos para a casa de acolhimento residencial, organizado pela ABEIV com um grupo de mulheres de Vialonga. “No último ano juntou 600 mulheres na Quinta do Serpa. Queremos manter essa dinâmica e o lar residencial para idosos. É um dos sonhos e uma necessidade grande, porque Vialonga não tem essa resposta”, conclui Margarida Penedo.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1673
    17-07-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1673
    17-07-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo