Sociedade | 29-06-2024 10:00

Autarcas foram almoçar à Escola Secundária de Coruche e não gostaram

A oposição na Câmara de Coruche questionou na última reunião do executivo a qualidade das refeições fornecidas na Escola Secundária de Coruche, assim como a falta de pessoal para apoiar os estudantes com as senhas durante o período do almoço.

A oposição na Câmara de Coruche questionou na última reunião do executivo a qualidade das refeições fornecidas na Escola Secundária de Coruche, assim como a falta de pessoal para apoiar os estudantes com as senhas durante o período do almoço. O presidente do município, Francisco Oliveira (PS), reconheceu a existência de “alguns percalços” no serviço de refeições, mas lembrou que no próximo ano lectivo, que se inicia em Setembro, haverá novo concurso para seleccionar a empresa responsável pela alimentação nas escolas. “Os contratos estão a terminar e, por isso, vamos fazer um novo concurso e perceber quem são as empresas que vão concorrer”, afirmou o autarca em resposta às intervenções dos vereadores Osvaldo Mendes (PSD) e Valter Jerónimo (CDU) .
Recorde-se que esta situação resultou do facto de o vereador Osvaldo Mendes e o deputado municipal Francisco Gaspar terem almoçado no dia 27 de Maio no estabelecimento de ensino ao abrigo do programa “Refeitório Aberto”. “Nem tudo estava como esperado”, revelaram à data. Francisco Oliveira garante que a nova empresa que ali presta serviço tem de cumprir rigorosamente o caderno de encargos e as regras estabelecidas. “A empresa que ganha o concurso fornece todas as escolas que estão integradas nos municípios da Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo. Queremos que respeitem a confecção descriminada em cada tipologia de caderno de encargos para as refeições escolares”, explicou.
Referindo-se aos problemas recentes, o presidente mencionou que a empresa foi informada sobre as falhas para que possa corrigi-las. “Poderá mudar, poderá ser a mesma. Não se sabe. Se for a mesma, teremos de afinar muito bem as cordas da guitarra, se for outra também tem que ser para que não haja percalços”, disse Francisco Oliveira, acrescentando que, na sua opinião, os problemas recentes estiveram “mais relacionados com o empratamento do que com a qualidade ou a quantidade dos alimentos”.
Segundo dados do Portal Base, o contrato em vigor, celebrado a 23 de Abril de 2024 entre a Gertal e o Município de Coruche, no âmbito da aquisição de refeições escolares (almoços, lanches e pequenos-almoços), estabelece um valor unitário por refeição de 2,30 euros no que respeita ao ensino secundário.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1674
    24-07-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1674
    24-07-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo