Sociedade | 30-06-2024 12:00

Bomba-relógio na Calçada da Junqueira em Santarém

Bomba-relógio na Calçada da Junqueira em Santarém
Camiões têm dificuldade em atravessar a estreita passagem sob a Linha do Norte nas Ómnias

A Calçada da Junqueira é actualmente a única via disponível para ligar as Ómnias a Santarém. É por ali que transitam diariamente camiões para carregar areia do Tejo e para sair da cidade.

Utilizadores da via apelam ao município que arranje rapidamente uma alternativa, alertando para o risco que é circular nessa via íngreme e estreita nalguns pontos, que é também ponto de passagem de peregrinos.

A Calçada da Junqueira, via íngreme que liga o lugar ribeirinho das Ómnias à cidade de Santarém, está transformada numa autêntica “bomba-relógio” que não se sabe quando vai explodir, alertou na última assembleia municipal um morador das Ómnias, Raul Caldeira, que deu voz a outros utilizadores e residentes na zona. Em causa está a passagem nessa via de camiões de transporte de areias, que se acentuou com o começo das obras do Hospital da Luz, que levou ao corte da via que ligava as Ómnias à rotunda do Retail Park de Santarém, por onde transitavam os camiões de transporte de areias do Tejo para aceder à exploração e sair da cidade.
Com esse acesso fechado e com a passagem de nível do Peso (outra alternativa) encerrada há mais de quatro anos, a Calçada da Junqueira é o único acesso aos veículos que vão carregar areia à exploração existente no Tejo perto do aeródromo. Raul Caldeira vincou “o perigo que está ali instalado” e apelou aos autarcas da câmara e da assembleia municipal para que encontrem rapidamente uma solução alternativa à Calçada da Junqueira para escoamento do tráfego de pesados. “Ninguém se pode eximir de responsabilidades. Ficamos à espera que se encontre uma solução, esta situação não pode ser adiada. É uma bomba-relógio que não sabemos quando vai rebentar, mas ela está lá!”, alertou.
Antes já o presidente da União de Freguesias da Cidade de Santarém, Diamantino Duarte (PS), tinha chamado a atenção para o assunto. Sublinhou que a Calçada da Junqueira é ponto de passagem de peregrinos dos Caminhos de Fátima e dos Caminhos de Santiago, o que aumenta os riscos, e apontou que já se notam impactos negativos no pavimento da via devido ao aumento do trânsito desses veículos de grandes dimensões.
O presidente da Câmara de Santarém, Ricardo Gonçalves (PSD), informou que está a ser estudada uma via alternativa, em conjunto com várias entidades, mas não se comprometeu com prazos, já que envolve autorizações de organismos estatais. Uma situação a que Diamantino Duarte também já tinha aludido, pedindo agilização de processos para que seja encontrada uma solução rapidamente. “Temos de ser capazes de juntar esforços para encontrar uma solução. Temos que nos sentar com os técnicos e se for preciso ir a Lisboa sentar-nos à porta de alguém para termos os pareceres necessários, vamos”, declarou o presidente da junta, vincando que “o perigo é real”.

Passagem de nível do Peso fechada há quatro anos
Ricardo Gonçalves afirmou que iria solicitar aos serviços que procedessem à contagem de camiões que passam diariamente na Calçada da Junqueira. “Foi-nos dito que seriam oito a 10 por dia e em dias mais complicados 12”, afirmou. O presidente do município lamentou também que a Infraestruturas de Portugal ainda não tenha solucionado a questão da passagem de nível do Peso, na Linha do Norte, encerrada desde Abril de 2020 devido aos acidentes mortais que ali ocorreram. Está prevista a construção de uma passagem desnivelada, mas o projecto tarda em sair do papel e o autarca afirmou que vai questionar o Governo sobre quando será lançada a obra.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1673
    17-07-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1673
    17-07-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo