Sociedade | 06-07-2024 18:00

Yoga é uma arma eficaz para aliviar o stress e combater a depressão

Yoga é uma arma eficaz para aliviar o stress e combater a depressão
Alunas de Hatha Yoga do GDA dizem que a prática regular da modalidade melhorou a sua qualidade de vida

As alunas de hatha yoga do Grupo Desportivo de Azambuja já não passam sem essa actividade.

A prática regular alivia o stress do dia-a-dia, contribui para melhorar a postura, flexibilidade e quadros depressivos. Para assinalar o Dia Internacional do Yoga, O MIRANTE foi participar numa aula e conversou com as alunas e professora.

A prática de yoga tem vindo a ser cada vez mais solicitada enquanto actividade física. A prática, de origem indiana, alinha corpo e mente e por isso contribui para reduzir o stress, aumentar o foco e melhorar a postura e flexibilidade. Dos tipos de yoga que existem, o hatha yoga é aquele que é praticado pelas alunas do Grupo Desportivo de Azambuja (GDA) todas as terças e quintas-feiras, das 20h00 às 21h00. As alunas garantiram a O MIRANTE que o yoga mudou as suas vidas para melhor, a começar pela redução do stress e ansiedade.
Maria José Estudante, 45 anos, viveu na Bélgica vários anos e quando chegou a Portugal começou a ter tensão alta e andava nervosa. A médica avisou: tem de agir e ter uma actividade física. Começou a fazer yoga em 2019 e desde aí aprendeu a lidar com os desafios diários sem entrar em pânico. Ao lado estava Margarida Gonçalves, 58 anos, que começou a ter aulas no GDA há dois anos porque estava a perder reflexos e não se conseguia dobrar. Andava triste e ansiosa e o yoga acalmou-lhe a mente e a prática regular ensinou-a a controlar a respiração.
A gerir equipas numa empresa de gestão de resíduos, Ana Lopes é uma das alunas mais antigas. Começou há oito anos para se libertar do stress do dia-a-dia. Para aliviar as dores nas costas Felisbela Abreu começou também há oito anos. A farmacêutica diz que nas aulas está focada e desliga do que se passa à volta. “O yoga é muito completo, adquirimos mais equilíbrio e força. Ao contrário do que as pessoas pensam, que vimos para as aulas dormir, não é verdade. O yoga exige muito”, relata ao jornal Carla Moreira, 49 anos. Com a mesma idade, a psicóloga Alexandra Mota começou em 2018. No yoga encontrou uma actividade física que engloba técnicas de relaxamento, concentração e claro, o convívio nas aulas.

Meditação, parte física e respiração
Hermínia Bento faz yoga há muitos anos mas há dez tirou o curso de professora e começou a dar aulas. Já ensinou adultos e crianças na Póvoa de Santa Iria, Alverca do Ribatejo, Castanheira do Ribatejo e agora no GDA. Tem 64 anos mas diz que parece mais nova porque a prática regular lhe rejuvenesce as células. Não toma medicamentos e não tem problemas de saúde. “O Hatha Yoga engloba meditação, parte física e respiração. Os meus alunos evoluem a nível de concentração, condicionamento físico e quem tem quadros depressivos nota melhorias. É bom lembrar as pessoas que é uma prática que faz bem à saúde e cada um segue o seu ritmo, respeitando o seu corpo”, explica a professora que desafia a quem quiser experimentar aparecer no GDA.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1673
    17-07-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1673
    17-07-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo