Sociedade | 11-07-2024 13:36

Extensão de saúde de Foros de Salvaterra encerrada por falta de médicos

Extensão de saúde de Foros de Salvaterra encerrada por falta de médicos

A extensão de saúde de Foros de Salvaterra, concelho de Salvaterra de Magos, encerrou portas à população a 1 de Julho e só vai reabrir na quarta-feira, 17, por falta de médicos. Mais de 350 utentes assinaram uma petição que circula contra o fecho neste período.

A extensão de saúde de Foros de Salvaterra está encerrada desde 1 de Julho e assim se vai manter até 17 de Julho devido à falta de médicos. A médica e o médico que ali prestam serviço estiveram de baixa recentemente durante cinco dias e a unidade também esteve encerrada, segundo informou o presidente da Câmara de Salvaterra de Magos, Hélder Esménio, em assembleia municipal. Entretanto está a decorrer uma petição contra o fecho da unidade até dia 17, que já conta com mais de 50 assinaturas físicas e 304 online.

O MIRANTE verificou no local, a partir de documentação afixada, que a equipa médica da Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados de Salvaterra de Magos e Foros de Salvaterra não está a conseguir dar resposta, em tempo útil, ao elevado número de pedidos de renovação de medicação crónica e que não são aceites pedidos de análises e de fisioterapia inicial. A entrega de receituário crónico deverá ser efectuada no Centro de Saúde de Salvaterra de Magos e em caso de doença aguda as vagas são limitadas diariamente nesta unidade. Em letras gordas também é possível ler que a consulta aberta na unidade de Foros de Salvaterra destina-se apenas a casos de doença aguda e não a mostrar exames ou análises.

O MIRANTE conversou com alguns moradores que se queixam de, apesar de lhes serem passados os exames, terem de recorrer a médicos privados para verem os resultados. Outra das queixas é a perda de receituário e terem de ir de madrugada esperar uma consulta, por vezes em vão. O presidente da Câmara de Salvaterra de Magos explica a O MIRANTE que a preocupação com a falta de médicos já foi transmitida à Unidade Local de Saúde da Lezíria, responsável pela contratação.

Hélder Esménio acrescenta que o município tem três casas alugadas com despesas de luz e água a cargo do município como incentivo à fixação de médicos. Numa das habitações está um médico que trabalha em Glória do Ribatejo, noutra das habitações um médico que trabalha em Marinhais e a terceira habitação encontra-se vazia aguardando o preenchimento da vaga que falta na Unidade de Saúde Familiar (USF) de Salvaterra de Magos e Foros de Salvaterra.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1672
    10-07-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1672
    10-07-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo