uma parceria com o Jornal Expresso
26/06/2017
Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
À descoberta dos antigos fortes das Linhas de Torres no Forte da Casa
A visita guiada foi organizada pelo Núcleo Museológico de Alverca este sábado, 27 de Maio
Edição de 01.06.2017 | Sociedade

Os 152 fortes e a muralha que constituíam a correnteza das Linhas de Torres Vedras há muito que desapareceram. Foram idealizadas pelo general inglês Wellington com base nos trabalhos desenvolvidos por José Maria das Neves Costa e foram construídos entre 1809 e 1811 no mais absoluto secretismo. Foram criados para protegerem Portugal da 3ª Invasão Napoleónica, comandada pelo general André Masséna, durante a Guerra Peninsular, e conseguiram alcançar o objectivo de salvaguardar a cidade de Lisboa.
As Linhas de Torres Vedras estendiam-se do Forte da Casa a Torres Vedras, abarcando 46 quilómetros e seis municípios: Vila Franca de Xira, Arruda dos Vinhos, Loures, Mafra, Sobral de Monte Agraço e Torres Vedras. Os seis uniram-se na Plataforma Intermunicipal para as Linhas de Torres (PILT), da qual nasceu o projecto Rota Histórica das Linhas de Torres, que tem como principal objectivo a recuperação, valorização e divulgação das fortificações militares. A Rota foi concebida em 2006 e foi co-financiada pelo Mecanismo Financeiro do Espaço Europeu, destacando-se os fundos doados pela Islândia, Liechtenstein e Noruega.
É no âmbito da divulgação para a recuperação e valorização dos antigos fortes e muralha e do passado histórico destes municípios que se estão a realizar uma série de visitas guiadas aos espaços onde antigamente existiam os fortes e a muralha. O passeio da tarde de sábado, 27 de Maio, foi guiado pela técnica Maria Adelaide Cruz, do Núcleo Museológico de Alverca, e começou no Forte 37, que ficava próximo do local onde hoje existe o Centro Interpretativo do Forte da Casa. De lá o grupo de 12 participantes, que contou com pais e filhos que quiseram acompanhar Maria Adelaide, seguiu para lá da Escola Secundária do Forte da Casa e até ao topo da colina onde antes estava o Forte 38. Os dois fortes ficavam em linha recta, o que permitia a comunicação rápida e eficaz entre ambos, bem como com os restantes que o tempo também já levou.
Nos próximos sábados, as visitas guiadas serão aos fortes que ficavam noutros pontos do município de Vila Franca de Xira: dia 3 de Junho a visita é ao Circuito da Subserra; dia 15 de Julho, na Quinta Municipal do Sobralinho; dia 23 de Setembro na cidade de Vila Franca de Xira; dia 7 de Outubro no Monte do Senhor da Boa Morte e o último, dia 4 de Novembro, no Núcleo Museológico do Mártir Santo.

Comentários
Mais Notícias
    A carregar...