Crónicas do Brasil | 22-12-2023 13:52

O Estranho Hábito das Mariposas

Vinicius Todeschini

No Brasil, desde 2010, surge uma nova organização religiosa a cada hora. E haja seguidores para sustentar tanta gente sem trabalhar, ainda mais no Natal, onde os esforços para arrecadar se tornam mais agressivos e há "necessidade" de um reforço de caixa nas igrejas.

As mariposas são tão fortemente atraídas pelas luzes fortes das luminárias que podem ficar voando, indefinidamente, em torno de uma delas até serem devoradas por algum predador. Elas também vêm de encontro às luzes dos faróis dos automóveis nas rodovias e morrem dessa forma, mesmo assim não alteram este comportamento suicida e, claramente, contra o instinto de sobrevivência dos seres vivos. O professor de Entomologia da UC Davis (Universidade da Califórnia em Davis), Lynn Kimsey, explica que as luzes artificiais fortes são super estímulos porque os olhos das mariposas foram adaptados para as luzes fracas e agem como se fossem verdadeiros telescópios para se ajustar a esses brilhos. Eles foram programados pela evolução para guiá-las pela luz da Lua e das estrelas, porém, com luzes artificiais fortes tudo se complica, porque esta invenção humana não estava na programação evolutiva da mariposa.

Em tese somos frutos do mesmo processo, lento e evolucionário, das espécies e não sabemos o quanto esta explosão tecnológica dos últimos três séculos já mudou a espécie humana e o quanto está mudando, porque novas tecnologias surgem e outras não param de evoluir. Estranhezas é o que não faltam na atual ‘fauna humana’ e, diante da diversidade moderna, não é mais possível generalizar 'culturalmente' os ‘tipos’ e uma nova taxonomia para classificar a todos não parece ser mais possível de atingir.

Nem a mariposa tecknicolor de Fito Paez conseguirá se safar da perseguição imposta pela extrema-direita, agora liderada pela bizarra figura de Milei. A Argentina já começa a ensaiar o seu novo calvário em ritmo de aventura, porque o novo candidato a ditador já começa o processo de repressão tentando evitar os protestos contra o seu regime antidemocrático e antipopular. O mitônomo bufão, através da sua ministra da segurança, Patrícia Bullrich, decretou a perda dos programas sociais para quem for pego bloqueando ruas e estradas em protestos contra o governo e, também, o uso das forças de repressão, ressaltando que o uso da força será gradual, como se isso fosse possível na realidade em que vivemos, com polícias truculentas, cooptadas pelos extremistas de direita e mal preparadas. Os elementos vão se juntando e, logo ali adiante, os protestos serão usados como causa (quando são consequências) para fechar o regime e retirar os direitos constitucionais, como já se tentou aqui no Brasil, recentemente.

No Brasil, com metade da população tentando voltar à Idade Média, a aprovação do senador e ministro da Justiça, Flávio Dino, para o STF (Supremo Tribunal Federal) causou sensação. Como é de praxe nos maus atores a reação ao fato pela extrema-direita é sempre exagerada e a bufonaria da república se revelou mais uma vez com discursos e momices -divulgados pelas redes sociais- para manter mobilizado esse eleitorado composto por (:) espertalhões em cima, interesseiros e oportunistas no meio e, na base da pirâmide, um rebanho de prosélitos -que outros autores chamam, ‘gado’.

A exploração dos aflitos e crédulos pelos espertalhões que usam a religiosidade se perde no tempo e agora está crescendo como nunca, com o avanço dos cultos fundamentalistas. Na década de setenta surgiram muitas seitas que acabaram em tragédias, mas, mesmo com todo o mal causado, elas mobilizavam apenas microcosmos, hoje em dia, no entanto, os “religiosos” têm planos para controlar o povo. Arregimentar, tornar cativo e dependente psiquicamente, eis a tríade sagrada da manipulação desses guias de cegos que, aliás, enriquecem com isso. Este é o real objetivo desses grupos e a política parlamentar foi uma questão de tempo, pois, com tanto dinheiro e influência, a busca do poder total se tornou um alvo possível de ser alcançado, “evolução” considerada “natural” pelos pastores e pastoras.

Eles acreditam no que pregam? No século XIX, nos EUA, surgiram muitos grupos fundamentalistas que se tornaram religiões poderosas, com seguidores em todo o planeta. Foi uma época de grandes previsões do final dos tempos, todas elas erradas, apesar de cálculos feitos e refeitos incansavelmente. Interpretações místicas baseadas na Bíblia por pseudoprofetas formaram as bases para muitas religiões atuais. O pastor Willian Miller, por exemplo, calculou a volta de Cristo para 22 de outubro de 1844. A decepção permanente por não ser atendido fez muitas pessoas se tornarem descrentes, mas os conselheiros religiosos têm incontáveis argumentos teológicos com explicações infindáveis e repetitivas onde a culpa é manipulada de forma, mais ou menos sutil, dependendo da resistência

A resposta meu amigo está soprando ao vento, já dizia Bob Dylan, que ganhou o Prêmio Nobel de Literatura e jamais pensou em fundar uma religião. Segundo Gordon Melton, editor da Enciclopédia das Religiões Americanas, 10 novas religiões são fundadas por dia, a absoluta maioria nem chega a ser conhecida. No Brasil, desde 2010, surge uma nova organização religiosa a cada hora. E haja seguidores para sustentar tanta gente sem trabalhar, ainda mais no Natal, onde os esforços para arrecadar se tornam mais agressivos e há "necessidade" de um reforço de caixa nas igrejas. O povo será cooptado a compartilhar o resultado do deu trabalho com os seus líderes religiosos. Quando as explicações são vazias é porque as respostas são óbvias, mas as mariposas nunca se destacaram pela sua inteligência.

Vinicius Todeschini 21-12-2023

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1652
    21-02-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1652
    21-02-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo