uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Tudo bem explicado

Edição de 02.05.2007 | Opinião
Oportunamente. Por falta de condições adequadas. Devido a razões técnicas. Quando for considerado apropriado. Foi julgado o mais ajustado. No momento oportuno.Normalmente, este tipo de frases são empregues por quem sabe estar a fazer algo de errado. Não consegue fornecer uma explicação para algo de anómalo. Por isso, refugia-se em palavras completamente vagas sem sentido e que não significam absolutamente nada.Fenómenos destes são próprios do Entroncamento.Para um advogado, ajudar alguém pode significar arranjar um inimigo.A parte contrária, por vezes, não compreende bem que o profissional do foro está a desempenhar as suas funções. Acaba por ganhar uma grande antipatia em relação ao advogado que defende o seu adversário. Se houver alguma oportunidade de exercer vingança, ela não é desperdiçada.Não há nada que justifique este tipo de retaliação sem sentido.Então se for exercida sobre a filha da advogada, ainda mais absurda se torna a represália.Quando toca a justificar a razão do desforço, a única hipótese é mesmo a de recorrer àquelas frases vazias, sem significado algum.Ora um caso destes foi motivo para uma estação de televisão ir ao Entroncamento e dar origem a reportagem no Telejornal, aqui há uns anos.Uma advogada era mãe de uma menina que frequentava um colégio naquela cidade.Uma empregada auxiliar foi despedida sem justa causa. A mãe da aluna aceitou representá-la. Em tribunal, a acção foi ganha, a trabalhadora foi reintegrada, voltou ao serviço e recebeu uma indemnização.No ano lectivo seguinte, a filha da advogada já não foi admitida no colégio. Deixava de poder partilhar a escola com os seus antigos colegas.A mãe decidiu-se a tentar inscrevê-la numa outra escola particular, sita na mesma rua.Sucede que a direcção de ambos os estabelecimentos de ensino integrava um mesmo padre.Novamente, a aluna foi recusada. Curiosamente, foi a única estudante cuja inscrição foi rejeitada.Perante a repórter do telejornal, o clérigo explicou-se:- Ela não pode frequentar a escola porque, na análise do seu processo, análise objectiva, resultaram de facto, elementos que impediam a escola.A jornalista quis tentar esclarecer aquela confusão:- Que elementos?A resposta foi assombrosa:- Elementos de natureza objectiva.* Juiz (hjfraguas@hotmail.com)

Mais Notícias

    A carregar...