uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Tenho medo do trânsito em Santarém

Edição de 06.07.2016 | O MIRANTE dos Leitores

Estou há pouco tempo a habitar em Santarém e o que mais me faz confusão é o trânsito na cidade. Já assisti a uma boa quantidade de ultrapassagens perigosas e tangentes em rotundas. Já para não falar na sinalização confusa ou mesmo inexistente. Depois há ainda os peões que literalmente se atiram para cima das passadeiras pondo em causa a sua segurança e a dos condutores. Em dois meses de residência na cidade já perdi a conta às vezes que por pouco não tive acidentes.
Bem se sabe que as rotundas servem para fluir o trânsito e não para empatá-lo. Mas na rotunda que liga a Rua Comandante José Carvalho com a Rua Cidade de Agen e a Estrada Militar, acontecem travagens a fundo com muita frequência e entradas que parecem a saída das boxes nas corridas de Fórmula 1.
Nas rotundas e cruzamentos da cidade, outra situação que tem por hábito acontecer é a falta do pisca. O Código da Estrada estabelece que para virar é necessário utilizar o indicador de mudança de direcção que avisa previamente os outros condutores. Em Santarém é usual abrir o pisca quando já se iniciou a manobra. Os condutores arriscam a sua própria vida, a dos outros e colocam em causa a segurança da via pública, onde nem os peões estão seguros.
Seja por distracção ou pressa dos condutores, ou mesmo porque os peões entram na passadeira sem verificarem se há carros a circularem, é comum assistir a ruidosas travagens junto das mesmas. Fica a sugestão aos condutores escalabitanos e arredores que as ruas de Santarém não são pistas de corrida.

Pedro Lima

Mais Notícias

    A carregar...